Adestradora alerta sobre os cuidados redobrados na hora do passeio com pet

Passear com o animal de estimação é rotina de muita gente, especialmente nesta época do ano. Mas cuidado! As altas temperaturas podem prejudicar a saúde do animal, que sente o calor de forma diferente do que os humanos. Nessa entrevista, Renata Cysne, adestradora, pet sitter, e proprietária de um hotel e creche para cães, fala um pouco do seu estabelecimento e dá dicas para melhor aproveitar os passeios com nossos pets, sem causar esforço excessivo.

Nas férias, como está o hotelzinho? Aumenta o movimento?

Durante o período de férias o movimento é bem maior. Nos feriados do final do ano, infelizmente, não conseguimos atender toda a demanda. E em especial, não conseguimos atender cães com dificuldade de socialização em um ambiente como o nosso, que é totalmente planejado para que os cães possam conviver e brincar. Claro que a supervisão é necessária, mas ainda assim, alguns cães que não foram propriamente socializados não podem ser atendidos aqui, por oferecerem risco aos outros hóspedes.

As temperaturas estão cada vez mais altas. Que tipos de cuidados extras devemos ter com os pets?

Os principais cuidados com seu pet estão ligados ao calor e a hidratação. É preciso ter especial atenção com os cães de focinho curto, como o pug, que são mais sujeitos a hipertermia, que é o aumento demasiado e perigoso da temperatura do cão. Alguns cuidados básicos que podemos citar são deixar o passeio para o começo ou fim do dia, quando as temperaturas são mais amenas, oferecer muita água fresca para beber, e até uma bacia para o cão brincar e se refrescar, jamais deixar o bichinho preso em local que não possa se proteger do calor, como amarrado em local ao sol, preso na varanda ou ainda dentro do carro – esse último caso é especialmente perigoso, já que o interior do carro aquece rapidamente, oferecendo risco de morte ao cão em poucos minutos. Uma dica bacana é fazer gelo com sabor de frutas ou caldo de carne, os cães se refrescam enquanto brincam e ainda aproveitam o alimento. As listas de permitidos e proibidos para os cães estão à disposição em muitos sites na internet.

Quais raças sofrem mais no calor? Como funciona a transpiração dos cães?

As raças mais problemáticas são as que tem o focinho curto, como os buldogues. Os cães transpiram de forma diferente dos humanos, apenas através da língua e das patinhas. Os cães de focinho curto tem uma superfície muito menor para suar e diminuir a temperatura, o que faz com que estejam mais sujeitos a hipertermia. Os filhotes, cães idosos e com problemas de saúde merecem atenção especial. Cães com pelagem escura podem aquecer mais rapidamente ao sol, vale a pena lembrar disso, é como nós, quando vestimos uma roupa escura e saímos no sol, rapidamente sentimos a pele queimando. No entanto, seu animal sabe regular bem isso, e caso tenha acesso ao sol e a sombra, irá procurar a sombra sempre que sentir necessidade. Um outro cuidado que deve ser mencionado é com os cães brancos, que podem ter o focinho, olhos e orelhas muito sensíveis ao sol, sendo que alguns deles podem precisar de protetor solar de uso veterinário. Caso perceba algo diferente no cão, como vermelhidão ou incômodo, não deixe de procurar orientação de um veterinário. Por último, podemos citar os cães com sobrepeso, que também sofrem com o calor, sem mencionar outros problemas de saúde que podem acometer o animalzinho.

Como identificar que o pet está cansado?

Fique atento! Alguns sinais de que seu cão precisa se refrescar são a respiração rápida e ofegante, moleza e salivação excessiva. Vemos parte desses sinais em nossos cães diariamente, mas se eles parecerem mais intensos ou fora do comum, procure o veterinário.

E em relação às tosas?

Os cães podem até ter o pelo diminuído no verão, mas não devem ser totalmente tosados, porque os pelos têm a função de proteção térmica, e isso significa que protegem o cão tanto do frio quanto do calor.

Você indica alguma mudança na alimentação?

A alimentação pode ser composta de alimentos mais líquidos ou pastosos, caso o cão normalmente não faça boa ingestão de água. A maioria dos cães, no entanto, caso tenha água fresca à disposição, vai se hidratar de forma suficiente, sem precisar de alterações na dieta. Se ficar em dúvida, procure seu veterinário, que será capaz de determinar se seu cão está bem hidratado, e que medidas devem ser tomadas com relação a alimentação deles para auxiliar nesse sentido.

Algo mais?

Vale lembrar que hoje em dia, com o acesso a internet, temos muita informação disponível, mas nada substitui a avaliação de um veterinário. Se tiver dúvida sobre o estado de saúde de seu cão, não deixe de procurar um veterinário, que pode ser a diferença entre a vida e a morte, no caso de um cão com hipertermia.

 

Serviço

Formada em psicologia, Renata é especializada na área de adestramento, dogwalker, manejo de grupos e hotel/pet care. Tem um hotel para receber os cães, localizado no Rio do Peixe, km 3,5. Telefone para contato: (19) 99445-6052. Site: http://www.renataeoscaes.com/ . No Facebook e no Instagram como renataeoscaes. Email: renataeoscaes@yahoo.com.

 

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.