Alegria e bem estar por meio da Dança

Um projeto inusitado, no qual a arte e os artistas ficam, de certo modo, para o segundo plano. A dança em sua expressão maior: movimentos que libertam e trazem alegria e leveza… Uma mescla de todos os ritmos, da gafieira ao street dance, incorporando aspectos culturais diversos, reconstruindo-os em um novo contexto: o da valorização da Vida em plenitude. Assim é a Zoe Dance, proposta do projeto “Dança Consciente” do ProAc Municípios apresentado por Danielle Martins Rocha e contemplado com o prêmio para ser desenvolvido este ano por ela e as amigas Viviane Artioli de Moraes e Joselaine Ayres.

No sábado, 14/03, antes do Decreto com medidas de restrições para conter a Pandemia do Covid-19, O Município esteve presente ao evento de abertura do Projeto que contou com a exposição de Viviane Artioli de Moraes sobre a dança no contexto do ProAC, um Seminário de Carol Bassi – que conversou com os presentes sobre a filosofia do Zoe Dance, saúde e bem estar -, uma apresentação de dança feita por um grupo de crianças de várias idades e um maravilhoso café,  seguido de um aulão de dança liderado por John Bassi. John e Carol são os idealizadores da Zoe Dance; no seminário, ela abordou aspectos da dança que estão além da manifestação artística e cultural, relacionando-a com a saúde integral do ser humano, quando praticada com genuína alegria, destacando o quanto pode fazer bem à alma. No aulão, isso foi colocado em prática pelas pessoas presentes, com muito entusiasmo.

Durante o evento, tivemos a oportunidade de conversar com Viviane, que desde 2013 trabalha a dança em projetos sociais em nossa cidade, sendo uma das responsáveis por trazer a Zoe Dance para cá e por articular o projeto ProAC  junto com Danielle. Confira a entrevista:

Desde 2013 você trabalha com a dança em projetos sociais, qual a relevância de montar um  projeto  via ProAC?

Poder trabalhar com um projeto de maior amplitude e destacar a cultura da Dança é fundamental. Com a perspectiva do ProAC, os trabalhos sociais já realizados na cidade foram ampliados e pudemos trazer os idealizadores da Zoe Dance para Socorro, dando mais força para o trabalho desenvolvido por todos os que praticam a Zoe Dance. É muito interessante trocar experiências e poder ajudar a difundir a filosofia de vida que move esse projeto.

Qual o objetivo da Zoe Dance?

Zoe em grego significa “vida abundante de Deus”. Em um primeiro momento buscou-se inovar a dança cristã, fazendo uso de todos os ritmos possíveis desde o funk até o street dance e as danças de salão, mas todos imbuídos de um mesmo espírito: o de estar de bem com a vida, feliz. Hoje se trata de resgatar a questão da alegria e bem estar, da vida saudável, tanto física como espiritualmente.

O foco do seminário não foi sobre a dança em si, não tratou de ritmos e coreografia e sim sobre vida saudável. Qual a relação do Projeto com esta questão?  

Toda. As pessoas no geral fazem uma confusão quando pensam sobre a saúde física. Muitos acham que ser saudável tem a ver só com comer “verduras”, mas acredito que a vida saudável tem a ver com o espírito também. Não se trata de religião também, mas de crença, em que não devemos nos contentar ou acatar o que é ruim e nos faz mal. Uma vez assisti a uma palestra de Augusto Cury na qual ele disse “se não comemos comida estragada, porquê comemos lixo que estraga nossa alma” . Isso faz pensar que quando a mente está cansada o corpo padece. Então, a questão do alimentar está relacionada não apenas com a comida em si. Nós, no cotidiano, também “comemos” palavras e, muitas vezes bem pesadas, ruins. Já se tornou trivial e nem nos preocupamos com o “lixo” que trazemos para a nossa alma.

Gostamos de dançar e ao fazê-lo buscamos trazer para os mais variados ritmos novas letras, que têm a ver com alimentar nosso espírito com coisas positivas, trazendo não apenas a alegria passageira no momento da dança em si, mas um bem estar duradouro para a alma e, por consequência, para o corpo.

O projeto foi inscrito pela Danielle e você trouxe a Zoe para o cenário cultural da cidade; quem  são  as  envolvidas  no projeto?

Somos três professoras licenciadas: eu dou aulas para adultos, a Danielle trabalha com as crianças e a Joselaine no Lar Dom Bosco. Para o desenvolvimento dos eventos programados no ProAC vamos interligar nossas ações. Contaremos com o ministério de Dança Transformarte – o qual eu e Daniele lideramos -, que apresenta Mostra de Dança desde 2014 e os alunos das oficinas de Dança Consciente e Zoe Dance também irão se apresentar durante o projeto.

Pode contar sobre a prática da dança, ritmos e coreografias?

Os ritmos são os que tocam em qualquer lugar – normalmente aqueles que mais atraem as pessoas -, apenas as letras tratam sempre de questões voltadas para o espiritual. As letras devem transmitir coisas boas, pois sempre ficam no nosso subconsciente. Já as coreografias são simples, fáceis de aprender e sempre buscando uma relação com as letras.

Quem pode participar?

Qualquer um. As pessoas têm cada vez mais uma preocupação com o fitness, com a aparência de bem estar… Temos de levar a dança para um maior número de pessoas, pelo que há de positivo nela. Dançar independe de nosso tipo físico e de aparência. Inclusive a dança nos ajuda a diminuir essa ansiedade atual – já generalizada – por se cumprir os padrões. Ela nos leva, como temos constatado, a uma vida saudável e abundante em Deus.

Algo mais?

Conseguimos fazer o primeiro evento do Projeto dentro do Cronograma previsto, antes da cidade entrar na quarentena de prevenção ao Coronavírus. As oficinas e aulas programadas serão reagendadas quando o Governo estadual permitir. Durante o tempo de quarentena usaremos a internet para organizar aulas de dança on line, pois o propósito do nosso projeto é levar a alegria e bem estar para as pessoas. Facebook: Zoe Dance Socorro.

 

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.