Ari Salles explica sobre o trabalho de um grafólogo: cientista que estuda a personalidade através da escrita

Foto: G1

A grafologia é o estudo da personalidade através da escrita. Uma ciência humana que atua no campo da psicologia e pode ser aplicada para a compreensão de conflitos psicológicos, autoconhecimento, processos seletivos em empresas e como ferramenta pericial em investigações criminais. Recebemos em nossa redação o psicanalista e grafólogo Ari Salles de Lemos Godoy para nos apresentar seu trabalho na área.

O que é e quando surgiu a grafologia?

Grafologia é o estudo de conflitos internos do ser, através da observação e interpretação da letra. É uma ciência de diagnóstico, baseado em uma metodologia, que permite ao estudioso de grafologia realizar uma análise da personalidade, através da escrita.
Seu início data de 1611, quando Prosper Adovisius escreveu o livro “Idengraphicus Nuntius”, obra que trata da relação entre constituição física e sua forma de traçar as letras. Mas a primeira obra grafológica, que se expressa cientificamente, é o Sistema de Grafologia do padre Juan Hipolito Michon, 1875, que criou o termo “grafologia” e ainda hoje norteia os estudos e trabalho.

Como é aplicada?

É um instrumento de pesquisa da personalidade, com condições suficientes para elaborar uma análise satisfatória de uma amostra. É realizado paralelamente para demonstrar ao psicólogo/psicanalista, aspectos ou tendências do analisado, que não apareceram em sessão. Exemplo: introversão, agressão, depressão, em diversos níveis,  profundos, leves e moderados.

Como funcionam as sessões?
Não são sessões. São amostras. O grafólogo necessita, além de nome, idade, sexo, profissão, estado civil, religião, saúde, podendo ainda acrescentar: ambiente social, familiar, hobbies e etc. E para qual é o objetivo da análise: seleção profissional, orientação, autoconhecimento e grafoterapia.
É necessário preencher a amostra, que compreende uma redação com duas folhas de sulfite sem linhas e que não deve ser preenchida no verso. É recomendado que a pessoa utilize uma caneta que já esteja acostumada. O tema e o tempo são livres.

Além da grafologia, o senhor trabalha com a psicanálise. Quais as diferenças entre psicólogo, psiquiatra e psicanalista?

O psicólogo trabalha com o comportamento atual do ser e processos mentais, levando em consideração ambientes sociais. Já para o psiquiatra o comportamento é tratado por meio de medicamentos. O psicanalista, por sua vez, questiona o comportamento através do seu discurso, investigando atos falhos, esquecimentos, atos involuntários, objetivando o equilíbrio.
Voltando para a grafologia, pode-se aprender sobre ela?

Sim. O interessado pode ingressar na Escola Grafológica Grafo Brasil/SP ou no Instituto Desenvolvimento Humano Carlos R. Mussato, em Campinas ou em qualquer outra instituição idônea supervisionada. O curso tem duração de cento e vinte horas, tendo como principal fonte o livro “Estudo da Grafologia Prática”. A fidelidade ao Código de Ética, à dignidade humana e o sigilo profissional são pilares fundamentais para o grafólogo.

Serviço

Ari Salles de Lemos Godoy, 41 anos, socorrense, é grafólogo, psicanalista e administrador de empresas. No campo da psicanálise, trabalha com a grafologia, psicoterapia psicanalítica, fenômenos psicossomáticos, interpretação dos sonhos, psicoterapia breve e psicoterapia em grupo. Possui registro na SBPM sob o número 0033. Seus contatos são pelo telefone (19) 99761-2132, e-mail: lemos_ari@hotmail.com e Instagram @ari_salles_lemos.

 

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.