Com o cubo mágico, ele criou um projeto para desenvolver o raciocínio, atenção e concentração de seus alunos

O professor de Matemática da EE Narciso Pieroni, Gilson Sousa da Silva, utilizou o que muitos consideram um hobby, como protagonista de um projeto, que tem como objetivo desenvolver o raciocínio, atenção e a concentração de seus alunos.

Cubo Mágico 1 xxCom o apoio da diretora Marisa Conceição Pieroni de Oliveira e da professora mediadora, Sheila Maria Moisés Conti, Gilson separou a última aula de sexta-feira, que tem com seus alunos do 7º ano, para explicar, na prática, algumas teorias sobre geometria espacial, área e volume, utilizando um cubo mágico e, com isso, trazendo benefícios para os estudantes. “É um projeto muito bom e os alunos, entre eles até os especiais, demonstraram visivelmente uma evolução, após a aplicação da técnica. O sucesso é tanto que eles aguardam ansiosamente pela chegada do dia de aula com o cubo mágico, atraindo até os do Ensino Médio”, afirma a professora Sheila.

“Com o sucesso, temos em mente desenvolver outro projeto com o professor Gilson, para implantar na Escola da Família e, quem sabe, fazer até um campeonato de cubo mágico, aqui na escola”, comemora a diretora.

Gilson conta que começou a praticar o cubo mágico há cerca de nove anos e já participa de campeonatos, há cinco. “Comecei a pensar: a gente sempre conhece alguém que conhece alguém que sabe montar um cubo mágico, e por que eu não posso ser essa pessoa? Busquei por tutoriais na internet e passei a praticar; quando fui pegando o jeito, procurei novas formas de fazer e desenvolvi minha própria técnica”, conta ele.

Cubo Mágico 2 xxA primeira vez que conseguiu finalizar o cubo mágico sem o tutorial, Gilson terminou em 41 minutos e, hoje, depois de tanta prática, já consegue finalizar em 12 segundos, em campeonatos; tendo seu recorde pessoal em 8,88 segundos.

A participação em campeonatos começou em 2011, com o cubo tradicional, 3×3 e, nessa oportunidade, o professor, natural de Pinhalzinho, finalizou o cubo em 30 segundos.

“Com o tempo e experiência nos campeonatos, fui me aperfeiçoando e pesquisando novas técnicas, com uma mão só, olhos vendados, com os pés… Bem como novas formas, o cubo 2×2, 4×4, piramix, megamix e até o clock. Os campeonatos chegam a durar de 2 a 3 dias, mas é justamente pelo grande número de modalidades”, explica ele que, das 18 modalidades existentes na competição, participa de 16.

O professor ressalta que em todos os campeonatos em que passou conquistou uma medalha e seu melhor resultado foi finalizar um cubo mágico com os pés, em 40 segundos, o que lhe rendeu o 21º do mundo.

A próxima competição na qual Gilson estará, será no dia 4 de julho, no Colégio Ipê, em São Paulo. Mas, a principal, será entre os dias 15 e 19 de julho, no Colégio Etapa, que receberá o Campeonato Mundial, com mais de 400 competidores já confirmados. “Nessas competições, o maior adversário somos nós mesmos, ou seja, o objetivo não é ganhar da pessoa que está em primeiro lugar e, sim, melhorar o seu tempo e, quem sabe, até ultrapassar quem estiver à nossa frente. Mas a disputa é comigo mesmo”, encerra Gilson.

 

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.