“Com a técnica do amigurumi é possível criar de tudo”, conta Letícia sobre seus bichinhos de crochê

Letícia de Andrade Batista aprendeu a fazer crochê aos 7 anos de idade com a afilhada de sua mãe, Rosana. Desde quando aprendeu os primeiros pontos, ela fazia toalhas e tapetes de barbante, sempre para uso próprio. Recentemente, passou a buscar novas ideias para a produção de peças mais modernas e começou a trabalhar com o fio de malha, fazendo cachepós e cestos organizadores. “Não fiz nenhum curso. Aprendi os pontos básicos e, quando fico em dúvida com algum ponto, procuro vídeo aulas na internet. Os pontos utilizados no crochê, a maioria deles são padrão, então não encontro muita dificuldade”, conta ela.

Em tempos de pandemia e isolamento social ocupar a cabeça ajuda e muito a saúde mental e, assim, Letícia decidiu pesquisar mais e descobriu o amigurumi.

Muito famoso mundo afora, o amigurumi chegou ao Brasil como uma verdadeira febre, o que pode ser explicado pela beleza dos modelos encontrados no mercado. Com um design simples e delicado, é difícil encontrar quem não se apaixone por um amigurumi de crochê.

Para quem não conhece o amigurumi, entender seu conceito não é difícil. O nome, por exemplo é uma junção das palavras japonesas “ami” (malha ou tricô) e “nuigurumi” (bichos de pelúcias). Ou seja, sua base é basicamente o tricô e o crochê, que permitem a confecção de uma série de bichinhos muito bonitos e que podem fazer parte da sua decoração, sobretudo a de quartos de bebê e assim por diante.

“Após pesquisar bem, resolvi fazer minha primeira peça: o unicórnio. Sempre tive medo de divulgar meu dom e talento com linha e agulha; porém,  assim que a primeira peça ficou pronta, postei em minhas redes sociais e foi sucesso!  Muita gente gostou do meu trabalho e, a partir de então, começaram os pedidos de amigurumis”, enfatiza Letícia.

Para ela, cada peça é única. “Não tem como explicar! É uma sensação de gratidão em poder dar “vida” a um bichinho, a cada criação é uma nova paixão; pois, tudo é feito à mão e todas peças produzidas exigem detalhes e perfeição, que as tornam únicas e o resultado final é inexplicável”, destaca, completando. “Aos meus olhos, todas as peças criadas por mim não só um bichinho, consigo ver através de cada detalhe o amor que tive quando estava produzindo-as. Não existe parte difícil nesse trabalho, a fase que mais exige dedicação e perfeccio-nismo é na hora da costura, pois é aí que temos que ter cuidado para que nada fique torto ou fora do lugar”, explica.

Letícia conta que com a técnica do amigurumi é possível criar de tudo. Basta ser criativo e gostar do que faz. Desta forma, o resultado final será sempre satisfatório. “Crio bastantes bichinhos voltados pra crianças e bebês, como: cavalinhos, naninhas, ursinhos, hipopótamo, girafas. Vale destacar que todos os detalhes são costurados e nada é colado; assim, traz mais segurança para quem for utilizar. Os olhinhos são presos com trava de segurança e não tem perigo de se soltar e o fio utilizado é 100% algodão”, enfatiza.

Gostou? Entre em contato através do Facebook Letícia Andrade, pelo Instagram: @la_fiodeamor ou pelo WhatsApp 19 999543599. “Lembrando que as peças são feitas apenas sob encomenda, pois como é um trabalho feito a mão, cada criação leva alguns dias pra ficarem prontas”, encerra Letícia.

O cavalinho tem sido a encomenda mais pedida. Segundo Letícia, já tem mais 4 deles esperando para serem criados.

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.