Congadas: patrimônio imaterial de Socorro

 

A abertura da exposição “Congadas: cortejo de cores e devoção”, no Museu Municipal, mostrou-nos com muita clareza, na quinta-feira passada, dia 19 de abril, a importância do desenvolvimento de ações de fomento às manifestações da nossa cultura popular e tradicional, para que elas possam ser valorizadas e ter continuidade, declara Marinilda B. Boulay, presidente do ITC – Instituto Totem Cultural, que realiza a exposição em homenagem às nossas congadas.

Estavam presentes no evento a nossa congada dos anciãos, a dos bairros Moraes e Rubins. Elas fizeram vibrar os artistas, autoridades e demais convidados ao som dos seus tambores, cantos e danças ritmadas pelo cruzamento das espadas, no momento da Embaixada, que é a parte mais bonita do cortejo da congada.

Quando o ITC iniciou suas ações voltadas para o fortalecimento das nossas congadas, em 2011, sob a presidência da mestra dona Leo-nor (in memoriam), a Congada de São Benedito e Divino Espírito Santo, formada na sua maioria pelos nossos congos mais velhos, além de ser a última congada ativa na cidade, estava em processo de dissolução.

Graças aos diferentes projetos realizados pelo ITC, ao longo desses anos, a saber: “Congada nas Escolas”; “Fitas e Flores”; “Congada, congadinha” e, agora, o “Congadas: cortejo de cores e devoção”, ela foi fortalecida, agregando novos membros. As congadas do Bairro Moraes e a do Bairro Rubins, que ainda não existiam, foram criadas dentro desses projetos.

Para consolidar essas ações, a Prefeitura declara, no inicio de 2017, nossa Congada de São Benedito e Divino Espírito Santo patrimônio cultural imaterial socorrense, e dispõe sobre a necessidade de protegê-la.

A força e a vitalidade que as congadas da cidade mostraram na abertura da exposição em sua homenagem, confirma que o trabalho desenvolvido e os esforços feitos para fomentá-las, surtiu o efeito esperado!

Longa vida às nossas congadas, pois elas estão impregnadas do nosso sincretismo cultural, misturando as tradições de matriz africana, europeia e indígena numa única manifestação, e encerram a missão histórica do nosso povo!

Oficinas gratuitas marcam a programação da mostra “Congadas: cortejo de cores e devoção”, no Museu

Vem de Diamantina, Minas Gerais, a artista e bordadeira Parisina Ribeiro, especialmente para dar duas oficinas em Socorro. A primeira acontece neste sábado (28/04), às 14h30, no Museu Municipal Dr. João baptista Gomes Ferraz, e a outra na 2ª feira (30/04), às 13h30, no Espaço do Artesanato.

Entre linhas de todas as cores, fitas, sianinhas, gregas, cordões,  tecidos, e a nossa tradicional chita,  Parisina vai criar com os participantes um miniestandarte bordado, inspirado na paisagem socorrense: nossas montanhas, ipês e palmeiras imperiais serão reproduzidos nos diferentes pontos que a artista vai transmitir para os participantes.

Essas oficinas, que têm apoio do ComupC – Conselho Municipal de Políticas Culturais para sua realização, fazem parte da programação da exposição: “Congadas: cortejo de cores e devoção”, que segue no Museu Municipal até o dia 19 de maio.  A artista Parisina, inclusive, realizou uma das obras em homenagem às nossas congadas, que compõem essa exposição.

No mês de maio teremos mais uma oficina gratuita dentro da programação da mostra. Ela será realizada em torno da renda nhanduti, e será ministrada pelo grupo de rendeiras socorrenses, chamado “Meninas do Nhanduti”, com o apoio do “Espaço do Artesanato”, ao qual o grupo está associado. A oficina acontece no sábado, dia 5 de maio, às 9h da manhã, no Museu Municipal.

As vagas para as oficinas são limitadas, e as inscrições podem ser feitas pelo: (19) 99917-6217.

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.