A Dengue avança em Socorro e secretário da Saúde pede apoio da população  

O secretário de Saúde, Josué Ricardo Lopes, esteve em nossa redação para esclarecer o assunto referente a casos de Dengue, em Socorro, dos quais já há 48 pessoas com suspeita da doença, em apenas uma semana, e solicitar a ajuda de toda a população, para que a Dengue não se alastre mais ainda.

Na quinta-feira, dia 25, tínhamos 3 casos suspeitos e 2 comprovados. Durante o final de semana as suspeitas multiplicaram-se rapidamente e, até esta quarta-feira, estávamos com 48 pessoas com suspeita de Dengue.

“É preocupante, pois várias pessoas procuram, todos os dias, os postos de Saúde e o hospital, com sintomas da doença. Para identificar a suspeita, o paciente tem que estar pelo menos com 3 sintomas, como febre, dor no corpo, dor no fundo dos olhos, manchas na pele, entre outros. É necessário que procure imediatamente um Posto de Saúde ou o Hospital, e não devem se automedicar, de maneira alguma, porque existem determinados medicamentos que não podem ser usados no caso de Dengue”, alerta o secretário.

Todos os 8 postos de Saúde e o Hospital estão preparados para atender a população. Os enfermeiros estão habilitados para identificar os casos que aparecem e encaminhar o paciente para exames nos laboratórios Municipal, particulares – disponibilizados pela Prefeitura -, e do Hospital, que estarão recebendo a demanda de exames, para agilizar o processo. Os mesmos enfermeiros buscam o resultado dos exames e avisam os pacientes.

“Não é necessário esperar esse resultado para iniciar o tratamento, que começa no momento da suspeita, com hidratação por meio de soro e uso de antitérmicos apropriados”, ressalta Ricardo. Os casos mais graves são tratados no hospital, para o qual a Prefeitura disponibilizou funcionários para ajudar no atendimento.

Ricardo conta, também, que somente a Sucen, do Ministério da Saúde, pode fornecer os resultados dos exames, por meio do laboratório Adolfo Lutz, uma norma estabelecida, para atualizar e divulgar a estatística de casos em plano nacional.

Ações são intensificadas

Desde que surgiram os primeiros casos de Dengue, há vários anos, a Equipe da Vigilância Epidemiológica trabalha na prevenção, com visitas domiciliares, para localização de criadouros, com entrega de folhetos explicativos sobre a doença, com palestras em escolas para as crianças – as principais fiscalizadoras, de acordo com o secretário de Saúde – , mas, infelizmente, começaram a aparecer os casos suspeitos da Dengue.

Para cada suspeita de Dengue, a equipe da Vigilância, junto com os agentes comunitários, fazem um bloqueio de 500 metros em volta da residência da pessoa envolvida, em busca de criadouros do mosquito e até mesmo de outros pacientes com sintomas.

“O mosquito da Dengue é doméstico, gosta de morar dentro das casas e sobrevoar um perímetro de 500 metros, por isso a necessidade dessa ação. A fêmea deposita os ovos em lugar seco, à sombra, e espera a chuva chegar, mesmo que leve meses”, destaca Ricardo.

Por esse motivo, atenção! É necessário destruir os criadouros, que podem estar nos locais menos esperados, como, entre outros, na calha das casas, em tampinhas de garrada, nos pratinhos das plantas, nas gavetas da geladeira – que devem ser vistoriadas diariamente -, e manter a piscina tratada, é primordial.

Além disso, o mosquito pode vir da carona, dentro dos carros, de qualquer lugar, como também nas roupas e em objetos. Alguém pode não ter nenhum criadouro por perto, mas pode ter sido picado pelo “caronista”, por isso é importante o uso diário de repelentes.

“Os agentes estão indo a sua casa, permita que ele entre e, caso identifique algum criadouro, avise seus vizinhos sobre o que está acontecendo em sua casa, use repelentes. Também há suspeitas na zona rural, portanto, é necessário que todos mantenham os coxos e bacias de água muito limpos, além de qualquer outro objeto que possa reter água, até mesmo papel de  bala, amassado”, alerta o secretário.

Outro fator que pode ter agravado o aparecimento da Dengue foi a falta de água, quando as pessoas passaram a armazenar a água da chuva, de modo – inadequado – e este é um lugar que os mosquitos da Dengue adoram ficar: água limpa e na sombra, eles acostumama picar geralmente nas primeiras horas do dia e nas últimas horas da tarde.

Ricardo solicita que professores, pastores e padres, todos que tiverem um microfone à mão, e ou público para ouvir, que falem e alertem sobre a Dengue, sobre a prevenção, para que a doença não avance.

“Está havendo um trabalho conjunto dos departamentos de Educação, Meio Ambiente, Obras e Saúde, e também do Hospital Dr. Renato Silva, para combater a proliferação da doença. A prevenção continua a ser primordial para combater seu avanço. É preciso que todos se conscientizem,  mantendo os ambientes limpos, livres de locais para criadouros do mosquito, sem esquecer o uso de repelentes”, conclui o secretário Josué Ricardo Lopes.

O que é Dengue?

A Dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus, que ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo. As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.

Qual a causa?

A infecção pelo vírus, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento.

Quais os sintomas?

A Dengue se inicia de maneira súbita e podem ocorrer febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas, dor nas articulações, náuseas e vômitos. Às vezes aparecem manchas vermelhas no corpo. A febre dura cerca de cinco dias com melhora progressiva dos sintomas em 10 dias. Em alguns poucos pacientes podem ocorrer hemorragias discretas na boca, na urina ou no nariz. Raramente há complicações.

O que é Dengue Hemorrágica?

Dengue hemorrágica é uma forma grave de Dengue. No início os sintomas são iguais à Dengue clássica, mas após o 5º dia da doença, alguns pacientes começam a apresentar sangramento e choque. Os sangramentos ocorrem em vários órgãos. Este tipo de Dengue pode levar a pessoa à morte.

A possibilidade da reincidência da doença é preocupante. Caso ocorra um segundo episódio da Dengue, os sintomas se manifestam com mais severidade. “Existe certa sensibilização do sistema imunológico”, que aumenta o risco de lesões nos vasos sanguíneos, o que levaria à dengue hemorrágica.

Como proceder na suspeita de Dengue?

Os casos de suspeita de Dengue devem procurar um serviço de saúde, como os postos de saúde, unidades de saúde da família, pronto-atendimento ou pronto-socorro.

A Santa Casa está preparada para receber esses pacientes?

A Santa Casa, em conjunto com a Prefeitura de Socorro, vem desenvolvendo ações para atendimento dos casos suspeitos de Dengue:

1) Abordagem pela enfermeira aos pacientes, buscando sinais e/ou sintomas suspeitos- durante o acolhimento;

2) Se o médico plantonista confirma a suspeita  de Dengue:  solicitação de exames de  sangue com resultado em 1-2, hidrataçào venosa, medicação e internação hospitalar, caso necessário. Todos os casos suspeitos que não necessitem de internação hospitalar, recebem orientações quanto aos cuidados domiciliares, como hidratação e repouso, assim como uso somente de medicamentos prescritos pelo médico. NÃO SE AUTOMEDICAR! A automedicação aumenta o risco de dengue hemorrágica.

3) Notificação do caso à Vigilância Epidemiológica – TODOS OS SUSPEITOS SÃO NOTIFICADOS;

4) Confirmação do caso: Pedido de sorologia (a ser coletada a partir do 6º dia do aparecimento dos sintomas). Se, no momento do atendimento, o paciente estiver dentro do período recomendada para realização da sorologia, a coleta é realizada no próprio Pronto-Socorro. Se não estiver, é feito o pedido e orientado a coletar no laboratório municipal, em data pré  determinada.

5) No início da semana disponibilizamos 6 leitos exclusivos para a internação dos pacientes suspeitos de Dengue. Por causa do aumento significativo do número de notificações, remanejamos as internações e, a partir de hoje (sexta-feira), já estamos com uma ala inteira e exclusiva para a internação desses doentes, além de uma sala de soroterapia, para atendimentos dos casos menos graves. 

Como previnir?

A melhor forma de se evitar a Dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros. É importante, também, o uso de loções repelentes que inibem a picada do mosquito.

Considerações finais

  • Na presença de sintomas procure um serviço de saúde. A automedicação aumenta o risco de complicações da doença. Medicamentos à base de ácido acetil salicílico e anti-inflamatórios, como aspirina e AAS, podem aumentar o risco de hemorragias.
  • Mortes por Dengue podem ser evitadas com diagnóstico e tratamento ágeis.
Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.