Estudantes se destacam em vestibulares e provas nacionais

São diversas as incertezas que um aluno do Ensino Médio passa, entre elas as que cercam a decisão de sua profissão; porém, antes de encarar a faculdade, existe a maratona de provas, entre elas o Enem e os vestibulares, pelos quais ele tem de passar.

A rotina muda e o objetivo acaba sendo um só: ser aprovado!

E, em meio a tantos vestibulandos socorrenses, tivemos alguns destaques, no ano que passou. Confira alguns deles:

 “Esteja atualizado, pois muitos exigem que o candidato esteja atualizado e seja capaz de ter uma opinião crítica sobre diversos assuntos”

flávia

No ano passado, a estudante ganhou sua quarta medalha na Olimpíada de Matemática, da Unicamp

 

Passei no Instituto Federal do Sul de Minas, em primeiro lugar pelo SISU, além de ser aprovada na USP e Unicamp. Além das aulas regulares do colégio e de frequentar algumas aulas do cursinho, minha rotina consistia no estudo, em casa, da matéria aprendida, fazendo exercícios de vestibulares anteriores. Ao todo, os estudos ocupavam cerca de dez horas do dia.

Para quem vai prestar vestibular neste ano, aconselho que estude todos os dias, para evitar o acúmulo de matéria, assim como frequentar plantões de dúvidas, fazer os simulados oferecidos pela escola e resolver provas de vestibulares dos outros anos, como teste. Também é imprescindível assistir e ler os jornais, pois os vestibulares, frequentemente, exigem que o candidato esteja atualizado e seja capaz de ter uma opinião crítica sobre diversos assuntos.

Flávia Bertoletti Silvério, 18 anos, estudou no Colégio Objetivo

 “Independentemente da sua estratégia para estudar, uma prática indispensável é fazer exercícios”

gabriel

Gabriel passou em quatro universidades, no curso de medicina: UFMG , UNESP, UNIFESP e na Faculdade de Ciências Médicas Santa Casa

 

Fui aprovado em medicina na Santa Casa (Fuvest), Unesp e UFMG. Estou em segundo colocado na lista de espera da Unifesp, mas é praticamente certo que serei chamado.

Minha rotina era a seguinte: nos dias de semana eu acordava, me arrumava e estudava até por volta das 18h, fazendo pausas a cada hora ou uma hora e meia para comer e/ou descansar (relaxar um pouco a cabeça). O horário em que eu levantava variou ao longo do ano: no começo, mais disposto, eu acordava às nove da manhã, mas com o passar do ano fui levantando cada vez mais tarde, por causa do cansaço acumulado, chegando a acordar por volta do meio-dia, em outubro/novembro. À noite (das 19h00 às 22h40), eu frequentava o Cursinho Objetivo. Aos sábados, eu fazia uma redação e, se houvessem tarefas atrasadas, eu as colocava em dia. Os domingos eram inteiramente dedicados ao descanso.

Aos vestibulandos, destaco que o mais importante de tudo é se conhecer e conhecer o modo pelo qual você rende mais. Tem gente que gosta de fazer resumos da matéria, em casa; outros, leem a teoria e anotações feitas na sala de aula; há, ainda, os que assimilam o conteúdo com maior facilidade durante a aula, e estudam muito pouco a teoria, em casa; entre outros diversos modos de estudo.

Cada pessoa funciona de um jeito, encontre a maneira que o faz render mais. Vale notar que, independentemente da sua estratégia para estudar, uma prática indispensável é fazer exercícios. Só assim você vai ver se realmente aprendeu a teoria, e é nesse momento que vão surgir as dúvidas que, é claro, devem ser sanadas com o professor. Outra dica importantíssima, geralmente dada pelos professores no início das aulas, é que: façam as tarefas de casa no mesmo dia em que o professor der o conteúdo (ou, se você estuda à noite, faça-as no dia seguinte). Isso permitirá que você fixe o conteúdo na sua memória, com maior facilidade. Por último, mas não menos importante: respeite os limites do seu corpo. Como vocês podem ter reparado no tópico anterior, no final do ano eu dormia de dez a doze horas por dia! Era o tempo de sono que meu corpo precisava para funcionar: se eu dormisse menos do que isso, eu poderia até estudar mais, mas o meu rendimento certamente seria menor. Fazer pausas regulares (dez ou quinze minutos) durante os estudos para comer e/ou se divertir, também é de grande valia para esfriar a cabeça e manter o rendimento alto. Boa sorte a todos! Espero que, com essas dicas, eu tenha conseguido ajudá-los (pelo menos um pouco) a atingir a aprovação!

Gabriel Hadad Lasco, 18 anos, estudou no Colégio Objetivo

 “É preciso manter o foco, ter disciplina, fazer um cronograma de estudos e seguir à risca”

trigêmeas

Patrícia, aprovada em Administração Pública, pela Unicamp; Natália , estudante de Fisioterapia, na Unifesp e Camila, caloura em Economia, pela USP

 

Passei em Economia na USP, de Ribeirão Preto. Durante minha preparação para o vestibular, eu estudava de segunda a sábado, pela manhã, revisava a matéria vista no cursinho do dia anterior e fazia exercícios. À noite, eu ia para os plantões de dúvida e, depois, ia para o cursinho. Fazia alguns simulados de finais de semana.

Aos vestibulandos, a dica é manter o foco e ter disciplina, estudar todos os dia, fazer um cronograma de estudos e segui-lo à risca. É muito importante, também, que o candidato conheça a prova que ele vai fazer, fazendo simulados. É imprescindível que o aluno aproveite tudo o que a escola oferece, indo a plantões e esclarecendo dúvidas com os professores. É indispensável resolver bastante exercícios, pois só assim você vai descobrir qual a sua dificuldade na matéria, para poder estudar mais. O descanso é fundamental, também; tirar um dia da semana para não estudar, mas sim relaxar, para aguentar a outra semana.

Camila Mercier Marcheto, 19 anos, formou-se pelo Colégio Horizonte e fez cursinho no Colétgio Objetivo

“Escrever, para mim, une o útil ao agradável, pois sou capaz de expressar minhas ideias por meio da palavra escrita”

Matheus

Matheus teve seu texto entre os 11 melhores do estado e os 125 do país, na Olímpiada Língua Portuguesa

 

Obtive 980 pontos na redação do Enem. Confesso que fiquei bastante surpreso com minha nota na redação, pois havia considerado o tema um tanto inusitado e de difícil desenvolvimento. No entanto, foi uma agradável surpresa.

Na hora da prova, dei prioridade para a redação, pois, a meu ver, esta modalidade exige mais esforço mental e criatividade do que as questões objetivas.

O caminho para este resultado é, sem dúvida, a leitura. Ler é meu passatempo favorito! Para mim, livros são fascinantes, e sou absolutamente incapaz de me abster da leitura. Leio um pouco de tudo, porém tenho um fraco pelas obras de fantasia, suspense e terror. Também gosto dos livros de História, Política e Filosofia.

Sobre a obtenção antecipada do diploma do Ensino Médio, confesso que tenho pouco conhecimento sobre estas exigências, já que nunca cogitei me adiantar nesse quesito. Inscrevi-me no SISU e com minha média fui aprovado em algumas faculdades, como a UFRJ, mas fiz isto apenas para ter uma ideia do meu desempenho, sem ter pretensões de realmente ingressar em um curso superior, no momento. Acredito que o Ensino Médio é uma etapa de minha vida de estudante que precisa ser vivida, e que a escola ainda tem muito a me ensinar.

Além disso, no ano passado, fui semifinalista da Olimpíada de Língua Portuguesa e participei da oficina regional realizada em Brasília. Meu texto foi classificado entre os cento e vinte e cinco melhores artigos de opinião do Brasil, e entre os onze melhores do estado de São Paulo. Posso dizer que participar da Olimpíada foi uma das melhores experiências que tive o prazer de vivenciar! Neste ano, infelizmente, não haverá a Olimpíada de Língua Portuguesa, pois este é um evento bienal, mas, caso contrário, eu participaria novamente, com prazer.

Para me dar bem, procuro estudar o máximo, pois sei que isto é extremamente necessário e, além disso, acredito que a leitura e a escrita, que pratico por realmente gostar de fazê-lo, contribuam para o bom desempenho. Creio que o fato de escrever com frequência tenha sido crucial para conquistar esta nota. Portanto, escrever, para mim, une o útil ao agradável, pois sou capaz de expressar minhas ideias por meio da palavra escrita, além de me ajudar muito a alcançar bons resultados no caminho rumo ao Ensino Superior.

Matheus Henrique Merino Domingues de Oliveira, 17 anos, estudante da EE José Franco Craveiro.

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.