Hoje: Bueno Brandão

Castelo Bispo de Sá

Depois de falar sobre as cidades que compõem o Circuito das Águas, apresentamos nossa vizinha mineira Bueno Brandão, conhecida por suas cachoeiras e trilhas que atraem turistas aventureiros e que procuram contato com a natureza. Localizado na divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais, o município fica a 170 km da capital paulista. Rodeado por montanhas, cerca de 1.500 metros acima do nível do mar, o clima tropical de altitude faz o inverno ser abaixo de zero e temperaturas amenas no verão, ótimas para os banhos refrescantes nas dezenas de cachoeiras. Embarque conosco!

Terra de belezas naturais

A localização de Bueno Brandão favorece o turismo de aventura: são vários locais para a prática de esportes como cascading, rapel, boia-cross, tirolesa, arborismo, voo livre, ciclismo, entre outros. Para aqueles que preferem a calmaria, a cidade conta com mirantes, minas d’água e ambientes naturais preservados, perfeitos para o relaxamento e meditação.

À noite, um show no céu: Bueno Brandão conta com uma das melhores localizações da América Latina para a observação das estrelas. Entre águas geladas e quentes, a lista possui mais de trinta cachoeiras catalogadas, sendo as mais famosas: Felix, Machado I e II, Davi, Cascavel, Luiz, Fidêncio, Malacacheta e Cafundó.

Mesa farta – Além das cachoeiras, Bueno Brandão também atrai turistas pela gastronomia: são vinícolas, laticínios, alambiques e chocolates para aguçar o paladar dos visitantes.

Perto do céu – Os picos chegam até a 1.800 de altitude e o acesso pode ser feito pelas trilhas, com Jipe, moto ou bicicleta. No Vale das Furnas, por exemplo, é possível visualizar as cidades de Ouro Fino e Inconfidentes, perfeito, também, para fazer aquele clique panorâmico.

200 anos de história

As terras que hoje pertencem a Bueno Brandão foram desbravadas pelos Bandeirantes, que exploraram grande parte do interior brasileiro, sendo alguns nomes Capitão Antônio Amaral, Capitão Antonio Nunes Brigagão e Coronel Agostinho. Quando lá chegaram, encontraram um pequeno povoado e batizaram o local de Ribeirão das Antas, pela grande quantidade do animal na margem do rio. Os Bandeirantes então se estabeleceram e construíram a Capela do Senhor Bom Jesus da Pedra Fria, em homenagem a imagem trazida pelo português Patrício José Joaquim de Miranda, em 1800, dando origem ao nome do povoado, Bom Jesus da Pedra Fria. Ao longo de sua história, o município recebeu cinco nomes diferentes.

Em 1831, a pedido dos moradores, o capelão João da Silva Brito chegou à comunidade. Em 1850, o frei italiano Eugênio Maria de Gênova sugeriu o nome de Bom Jesus do Campo Místico, sendo acatada a ideia e quando o povoado foi elevado à categoria de distrito de Pouso Alegre, recebeu o nome de Campo Místico. Em 1864, foi transferido para Jaguari (Camanducaia) e em 1880, a Ouro Fino.

O cultivo do café e da batata inglesa foram os pilares para o desenvolvimento da cidade, que teve sua emancipação política em 17 de dezembro de 1938. O nome “Bueno Brandão” é uma homenagem ao ex-governador do Estado de Minas Gerais, sr. Júlio Bueno Brandão.

Cachoeira do Félix

Participe!

Conheceu algum destino bacana? Compartilhe conosco sua experiência! Informações: contato@jornalomunicipio.com.br ou (19) 99624-6941 (WhatsApp)

 

 

 

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.