Hoje: Inverno Europeu – Itália, França e Suíça

Este roteiro é para quem sonha em atravessar o oceano e chegar ao hemisfério norte para conhecer o velho mundo – o continente europeu. Nesta semana, quem nos escreve é Ana Helena Bozzer, que foi acompanhada de seu marido José Aparecido Machado. Lá,  o casal se encontrou com o filho, Éder Bozzer Machado, que visitaram lugares na França, Itália e Suíça, em quinze dias de aventuras na terra de muitos de nossos antepassados.

Conte, Ana!

“Adoramos viajar! Estivemos na Itália em julho de 2017, para conhecer a terra natal de meu bisavô Girolamo Bozzer. Não conseguimos conhecer o norte da Itália, na época; por isso, voltamos em dezembro para conhecer o inverno Europeu. Ficamos na região de Piemonte, próximo do Lago Maggiore.

O Lago Maggiore fica ao norte da Itália e parte na Suíça. Alugamos um carro, demos uma volta às suas margens (sem nenhum problema ao passar pela fronteira). Foi um belo passeio, de um dia inteiro, parando por várias vilas (cidades com igrejas medievais). Um passeio maravilhoso foi a montanha Mottarone. Fica entre o Lago da Orta e Lago Maggiori.

Lugar onde se observa os 7 Lagos da região e ainda dá para esquiar no inverno.  Muitas pessoas sobem ou descem a pé, nós fizemos de carro. Conhecemos várias cidades da região de Piemonte entre elas: Turim, Novara, Verbania.

Outra cidade que conhecemos foi Milão, na região da Lombardia. Milão é um passeio imperdível no norte da Itália, seja pelo glamour da moda, pela história ou parques. A catedral é deslumbrante!

Na região de Lombardia, um passeio bem legal foi pelas províncias de Como, Bérgamo, Varese, Mantova, e para os apaixonados por Fórmula 1, como nós, logo ao norte de Milão, fica o lendário Circuito de Monza, um dos palcos sagrados do automobilismo mundial. Como bons brasileiros, também não poderíamos deixar de fazer um tour pelo estádio San Siro, no qual os dois grandes times de Milão (Inter e Milan) fazem seu jogos.

Estando no norte da Itália, outro passeio imperdível é o principado de Mônaco. Andar de carro ou a pé pelas ruas de Mônaco onde é disputada a tradicional corrida de F1 é de arrepiar. O principado é lindo e receptivo. Aproveitamos e estivemos em Nice, a maior cidade da Riviera Francesa. Conhecemos a cidade antiga e a praia. Fizemos os passeios em Nice basicamente a pé e de trem. Linda demais!

No dia seguinte, fomos para Zermatt, na Suíça – Vila com uma grande estação de esqui aos pés do monte Cervino. Zermatt é conhecida pela proibição de automóveis nas suas ruas, impecável preservação do seu patrimônio histórico e a calmaria do local. Ficou conhecida pelo mundo depois da primeira escalada ao topo do Matterhorn (a montanha) que terminou com a morte de quatro dos cinco alpinistas. O evento foi tão noticiado ao redor do mundo, que logo o Matterhorn se tornou o troféu mais desejado entre os alpinistas europeus. A montanha é uma das mais fotografadas da Europa.

Chamonix, na França, não ficou de fora pela proximidade do Norte da Itália. Para chegar à cidadezinha de Chamonix atravessamos o Mont Blanc (Montana branca) por um túnel de 10km que fica parte na Itália, parte na França. O Mont Blanc é a montanha mais alta da Europa que, embora esteja na França, fica bem pertinho da divisa com a Suíça e a Itália. Chamonix é a cidade base para conhecer a montanha mais alta da Europa. Claro que para chegar ao túnel tivemos que conhecer o Vale de Aosta que, convenhamos, foi proposital.

A província de Parma fica na região de Emilia-romana. Andamos um pouco mais, mas não deixamos de conhecer. Valeu a pena! A  cidade é medieval, cheia de história, é a sede do queijo parmesão e do leite Parmalat, entre outros alimentos. Tomar um café italiano em Parma em dias frios, foi oportuno.

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.