Hoje: Irlanda, um pedacinho ‘congelante’ da Europa

Cidade de Cork

Nevasca de -10º e sensação térmica de -15º, que tal? Aprender inglês e trabalhar no exterior e, de quebra, não ter que enfrentar toda a burocracia para conseguir o visto? Acompanhe agora o relato do socorrense que há um ano trocou o calor do Brasil pelo frio europeu. Cleiton Martins, de 23 anos, formado em Administração de Empresas pela Faculdade XV de Agosto é quem nos conta sua experiência no país do “velho continente”.

Conte, Cleiton!
Cheguei na Irlanda em fevereiro de 2018. A adaptação sempre é um pouco complicada no começo, principalmente pela cultura e pelo clima completamente diferente do nosso, além de não falar inglês muito bem. Cheguei aqui durante o inverno e na semana seguinte tivemos a pior nevasca dos últimos 40 anos, com as temperaturas batendo a casa de -10 graus e a sensação térmica de -15 graus, já foi um bom teste, mas após alguns meses já estava bem adaptado, principalmente ao clima e às comidas, que também são completamente diferentes.

Stairways to Heaven

Porque escolheu este país? 
Escolhi a Irlanda pelo fato de poder estudar inglês, que era algo muito importante para meu desenvolvimento, também por poder trabalhar e principalmente para viajar pela Europa. Poder conciliar isso é algo muito atrativo para nós brasileiros, sendo que a maioria dos países oferece apenas o estudo do idioma. Outro fator é que, tiramos o visto aqui e não é tão burocrático. Desde que você esteja com todos os documentos em mãos, você não terá problemas. Com o visto podemos trabalhar 20 horas semanais durante as aulas e 40 horas semanais durante as férias. Viajar aqui muitas vezes é barato. Encontramos passagens aéreas por menos de €20 para países mais próximos. Uma vez que temos nosso visto regularizado, podemos viajar para todos os países da união europeia, isso é algo muito interessante para quem quer conhecer outros países e culturas.

Pretende voltar ao Brasil?
Sim. Estamos passando por uma situação de transição e isso torna as coisas um pouco complicadas, mas nunca existirá no mundo um lugar como o nosso lar, nossa família e amigos que sempre nos acompanharam.

Castelo de Malahide

Além de Dublin, quais outras cidades visitou no país? Qual foi a que mais lhe chamou a atenção?
O país em si não é grande, podemos visitar muitas cidades próximas de trem ou algumas mais distantes de ônibus ou com excursões. Visitei Bray, Howth, Malahide, Dún Laoghaire, Wicklow, Cork, Galway e Donegal. Também estive em Belfast e Cuilcagh, na Irlanda do Norte. De todos que visitei aqui, gostei do Cliffs of Moher, que são os penhascos da morte. Com aproximadamente 250 metros de altura, podemos ver paisagens exuberantes de diferentes ângulos, é um lugar muito visitado por aqui. Na cidade de Belfast encontramos paisagens naturais como a “The Dark Hedges”, que é um corredor natural formado por árvores e a Calçada dos Gigantes, que também se formou de maneira natural e até hoje não foi encontrado uma explicação científica, apenas lendas cercam esse lugar. Esses dois últimos inclusive, são cenários que foram utilizados para a gravação da série “Game of Thrones”.

Quais as curiosidades da Irlanda? 
Devido as brigas religiosas, há alguns anos a Irlanda foi dividida em dois países, República da Irlanda e Irlanda do Norte, na qual no sul a maioria é católica e no norte a maioria protestante. Em gaélico, Dublin significa Reino Nórdico do Lago e foi uma cidade fundada pelos vikings. A maior parte da cidade é plana, e bicicletas são tão utilizadas por toda população quanto carros ou motos. A polícia local não utiliza armas de fogo ou cacetetes. Dublin é muito famosa por seus pubs. Atualmente, existem mais de 700 pubs apenas na cidade. Inclusive existe uma região famosa pelo grande número de pubs, conhecida como “The Temple Bar”. É muito comum encontrarmos portas coloridas por aqui. Como a estrutura das casas são iguais, eles utilizavam isso como maneira de diferenciar suas residências. Há quem diga que os homens fizeram isso como maneira de encontrar facilmente suas casas quando voltavam de madrugada e bêbados. Sorry é a palavra mais utilizada aqui. Seja para pedir desculpa, licença, existem situações que as pessoas dizem isso mesmo sem terem feito nada. O St. Patrick’s Day é muito comemorado no país, assim como o Carnaval é festejado pelos brasileiros.

Cidade de Howth

Qual costume mais difere do Brasil?
Apesar de amigáveis, os irlandeses em geral são pessoas mais reservadas do que os brasileiros. Não existe aquele contato, o calor humano no qual estamos acostumados.
Depois do primário, meninos e meninas são separados e encaminhados para escolas diferentes. Eles acreditam que assim, o processo de aprendizado é mais eficaz.
O café da manhã aqui é a refeição mais importante do dia. O Irish breakfast é feito por ovos, bacon, linguiça, feijão entre outros ingredientes. No almoço normalmente costumam comer lanchinhos ou sanduíches mais leves. Aqui é proibido consumir bebidas alcoólicas na rua e os mercados só podem vender bebidas entre as 10h e às 22h. Ao contrário dos brasileiros, irlandeses são completamente pontuais para os compromissos. Nossos atrasos sempre os irritam.

 

 

 

Cliffs of Moher

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.