Hoje: Nazaré/Portugal

Rozinéia Tinti continua a nos contar sobre os locais visitados durante a peregrinação Mariana, organizada pelo padre Vicente Rosa Junior. Hoje, vai falar sobre Nazaré, na região central de Portugal, pertencente ao distrito de Leiria, a 120 km de Lisboa.

Fale, Néia!

Após a visita ao Castelo, em Toma, rumamos para Nazaré, cujo conjunto urbano é formado pela população da Pederneira, o Sítio e a praia da Vila.   O Sítio de Nazaré é um bairro peculiar, situado no topo de uma falésia, a 110 m de altitude, com vista privilegiada para o Oceano Atlântico.

Conta a lenda que o nome da vila se deve a uma imagem da Virgem, vinda de Nazareth, na Palestina, trazida por um monge até Mérida, para um mosteiro no século IV e que, no século VIII, foi trazida pelo fugitivo rei dom Rodrigo, juntamente com o frei Romano, para o sítio onde ficou escondida, até que pastores a encontraram e passaram a venerá-la. D. Fuas Roupinho, alcaide-mor, também era devoto e gostava de caçar na região. Numa manhã de nevoeiro, ele perseguia um veado, quando o viu desaparecer num precipício. Alarmado pelo perigo iminente, pediu socorro à virgem e o cavalo estacou abruptamente, salvando-lhe a vida.

Em ação de graças, mandou construir a Ermida da Memória para abrigar a Santa e, como os peregrinos só aumentassem, houve a necessidade da construção de uma igreja maior. Então, foi construído o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, para onde a imagem foi transferida. Nazaré é terra das mulheres de sete saias, dos homens da camisa xadrez, dos frutos secose e é muito procurada pelos surfistas, por suas ondas gigantes.

Com cerca de apenas 10.300 habitantes, com tradições fortes, esta terra de pescadores destaca-se principalmente pela sua beleza natural e pela rica gastronomia com peixes e frutos do mar.

No sítio estão o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré e a Ermida da memória e estão concentradas muitas lojas do artesanato local; há também bares, restaurantes, cafés e espalhadas pela praça estão as barracas dos frutos secos .

Para desfrutarmos do almoço, descemos para a praia e, naturalmente, o prato escolhido pela maioria foi o famoso bacalhau; depois, apreciamos um sorvete italiano muito gostoso. Agora era só caminhar entre as inúmeras lojinhas e barracas para escolhermos as lembrancinhas. Isso foi bom demais!

Participe! Compartilhe conosco sua experiência, entrando em contato pelo e-mail contato@jornalomunicipio.com.br

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.