Hoje: Óbidos

Rozinéia Tinti vai nos contar, hoje, sobre a cidade de Óbidos, um dos locais visitados em Portugal, durante a peregrinação Mariana, organizada pelo padre Vicente Rosa Junior.

Óbidos foi tomada dos árabes em 1148, pelo rei D. Afonso Henriques, que a ofereceu como presente de casamento, a D. Diniz (aquele que fez o que quis) e sua esposa Isabel de Aragão; mais tarde, outras rainhas foram donas da vila, o que deu a ela enormes benefícios , sendo sempre cuidada com muito carinho.

Fale, Néia!

Após um breve descanso em Nazaré, rumamos para Óbidos, a Pérola de Portugal, uma vila medieval muito charmosa e pitoresca, que é toda envolvida por uma grande muralha da época romana.

Um charme de lugar que está a aproximadamente 85 km de Lisboa e encanta a todos que a visitam, por suas tradições, festas típicas e peculiaridades. A vila tem hoje cerca de 12.000 habitantes e vive basicamente do turismo, do chocolate e da produção da ginja.

Entre seus pontos turísticos destacam- se a Porta da Vila decorada com azulejos portugueses tradicionais, representando a Paixão de Cristo; nesse local os turistas são recepcionados por um cavaleiro medieval e um sanfoneiro, tocando músicas regionais que dão o clima ao local. Outro ponto é o Castelo de Óbidos, que outrora foi uma fortificação, depois castelo residência de reis e rainhas e, hoje, após uma reforma, é uma luxuosa pousada. Óbidos possui muitas igrejas, dentre as quais visitamos a de Santa Maria, toda decorada internamente com azulejos portugueses. Visitamos o marco zero da vila e a tradicional Rua Direita, com suas inúmeras lojinhas de artesanato local e o licor de ginja. Quem vai a Óbidos tem que apreciar o licor de ginja, que foi criado há cerca de 60 anos e que, no início, era servido como cortesia. Este licor digestivo tornou-se uma das partes mais importantes da economias do local. Fica muito gostoso quando servido em copinho de chocolate meio amargo.

Andar pelas muralhas que cercam o lugar é um passeio muito recomendado, porque a vista de toda a vila é fantástica: As casinhas brancas com janelas e portas coloridas com vasos de flores nas sacadas e nas janelas, enfileiradas em ruas estreitas e tortuosas, com primaveras plantadas a cada espaço vago; carruagens movidas por imponentes cavalos, dão um ar extremamente romântico e colorido a essa vila medieval tombada pelo patrimônio histórico.

Lembranças memoráveis deste passeio ma-ra-vi-lho-so, finalizando nossa visita, rumo a Lisboa.

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.