Pelo Mundo – Especial Circuito das Águas – Hoje: Pedreira

Capela Bom Jesus

O Circuito das Águas Paulista é composto por nove cidades: Águas de Lindoia, Amparo, Holambra, Jaguariúna, Lindoia, Monte Alegre do Sul, Pedreira, Serra Negra e Socorro – todas com suas histórias e reconhecidas belezas naturais. Visando incentivar o turismo na nossa região, O Município inicia uma série de matérias sobre cada destino, a começar pela cidade de Pedreira – a Capital da Porcelana, que oferece aos visitantes, além do turismo comercial,  diversos passeios e muito contato com a natureza. Vamos lá!

 

Vários “Pedros”

A família do fundador João Pedro de Godoy Moreira tinha algo muito curioso: todos tinham “Pedro” no nome, sendo o local então denominado “Bairro dos Pedros”. Depois, passou a chamar-se “Bairro dos Pedreiras”. Quando João loteou parte de suas propriedades, surgiu o povoado de nome “Terra dos Pedros” e, por fim, Pedreira. Em agosto de 1890, Pedreira foi elevada à Distrito Policial e, em dezembro do mesmo ano, passou a ser Distrito de Paz do município de Amparo. No dia 31 de outubro de 1896, a antiga vila consegue a emancipação administrativa.

Comércio Turístico

Capital da Porcelana

A produção de café foi responsável pelo crescimento do município e, em 1911, os irmãos Rizzi instalaram a primeira fábrica de porcelana em Pedreira. Já em 1953, a cidade recebeu o cognome de “Flor de Porcelana” e, com o auge da produção, passou a ser a “Capital da Porcelana” – nome que fez Pedreira ser nacionalmente conhecida. A crise de 1992 obrigou várias fábricas de porcelana a fecharem suas portas, dando entrada de outras matérias-primas como gesso, ferro, resina, vidro e madeira (MDF). Hoje, além da produção de porcelana, Pedreira abriga mais de trinta e cinco fábricas de plástico. O comércio também concentra grandes números: são trezentas lojas de utensílios domésticos, porcelanas, louças, artesanato e decoração.

Pontos turísticos

Quem visita Pedreira também pode conferir outras atrações, dentre elas o Complexo Turístico do Morro do Cristo, o Zoo Bosque Municipal e o Museu Histórico e da Porcelana.

O Zoo Bosque Prefeito Adolpho Lenzi está localizado no Centro da cidade. Possui uma área de 33.000m², remanescente da mata nativa e conta com inúmeras espécies vegetais e diversos animais e é administrado pela ONG Mata Ciliar.

Já na Praça Cel. João Pedro, está o Museu Histórico e da Porcelana. No acervo há fotografias, peças de ferrovia, imigração italiana, peças de porcelana que representam a tecnologia de cada época, além de uma mini fábrica de porcelana.

Complexo Turístico Morro do Cristo

História e religiosidade são encontradas no Complexo Turístico do Morro do Cristo. O acesso foi construído em 1932, quando os soldados constitucionalistas implantaram nele suas trincheiras.

Na década de 1980, o local recebeu urbanização e as estações da Via-Sacra. A Praça Nossa Senhora Aparecida, o monumento à Revolução Constitucionalista e o portal semelhante às construções de Jerusalém fazem parte do complexo, que pode ser acessado pela Avenida Joaquim Carlos.

 

 

Galeria de imagens:

Fazenda Santa Clara

 

Interior do Museu

 

Ponte Pênsil

 

Porcelana

 

Praça Angelo Ferrari

 

Xícara

Fotos: Divulgação Secretaria de Turismo/Karen Isis

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.