Problemas com a telefonia lota plenário da Câmara Municipal

Na segunda-feira, 4 de março, o auditório da Câmara Municipal de Socorro ficou de lotado de empresários e munícipes, onde foram debatidos diversos assuntos, entre eles, os problemas enfrentados com relação à telefonia fixa e móvel no município de Socorro. No uso da Tribuna, o presidente da Associação Comercial Empresarial de Socorro (ACE), Marcos Donizetti de Toledo, falou do descaso das empresas de telefonia para com o município. Citando o exemplo de empreendimentos que se encontram no corredor turístico do bairro Rio do Peixe, que funcionam através do sistema WLL, que receberiam um atendimento da Telefônica/Vivo muito precário, afetando os mais de 15 empreendimentos da área do turismo que existem no local.

Segundo Marcos Toledo, hoje a má prestação do serviço de telefonia impera em toda a cidade, destacando o exemplo de um associado que teria ganho uma ação na justiça, impetrada contra a empresa VIVO (antiga Telefônica). E na mesma semana em que recebeu a indenização da empresa, já entrou com outra novamente, pois seu telefone mais uma vez parou de funcionar, ficando 17 dias sem acesso a internet e linha telefônica para atendimento aos clientes e fornecedores.

O presidente da ACE citou, ainda, que quando das cobranças por parte das contas de telefone, a mesma vem com valor a ser pago pela prestação do serviço de 30 dias, e não apenas nos dias em que a linha funcionou normalmente, trazendo prejuízos aos usuários. Para ele, é necessária uma ação conjunta e o empenho da Casa de Leis através dos vereadores, Ministério Público, ACE e Sindicato Rural, para tomarem medidas legais, visando melhorias para o empresariado e população em geral. “Pagam por um serviço um serviço nota 10” e “recebem um serviço nota 0”, declara Toledo.

Após as explanações, ao fazer o uso da palavra, os vereadores propuseram diversas soluções, como o envio de um requerimento para algum representante das empresas, VIVO, CLARO, TIM e OI, solicitando explicações a respeito das reclamações que foram expostas. Além disso, um abaixo assinado será encaminhado para essas empresas, além de pedidos de apoio a deputados federais e estaduais. Caso não haja nenhuma resposta por parte das empresas, foi sugerida veja a possibilidade da criação de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito), para investigar os fatos. Os vereadores também citaram casos e enfatizaram os prejuízos causados por estes tipos de problemas, principalmente em empresas da zona rural.

Para encerrar, o presidente da Câmara, João Pinhoni, afirmou ser de extrema importância o envio de um ofício ao órgão fiscalizador do Governo Federal (ANATEL), solicitando que a mesma informe quais são as responsabilidades das empresas, em relação à prestação de um serviço de qualidade aos usuá-rios da telefonia e orientou os cidadãos, que sofrem constantemente com esses problemas, a procurarem o Procon, na prefeitura, para que seja possível uma ação reguladora do Ministério Público ou até mesmo a criação da CEI, junto aos vereadores da Câmara Municipal.

Solicitação vai ao MP
Para o presidente da ACE-Socorro, Marcos Toledo, a sessão terminou conforme ele esperava. “O problema com o sinal de telefonia não é algo recente; acompanho sempre o trabalho dos vereadores e sempre ouvi a solicitação para a implantação de mais torres, porém nunca tiveram retorno. Com esta sessão tivemos um comprometimento maior com a causa, com a notificação das empresas para uma futura reunião com os vereadores, que será marcada, para que seus representantes deem um esclarecimento de seus projetos e investimentos”, afirma ele, que completa que a ação da ACE não para por aí. “O próximo passo é buscar apoio do Ministério Público, para o qual será entregue, ainda esta semana, a solicitação, juntamente com os assuntos discutidos na sessão de segunda-feira. Conseguimos exatamente o que estávamos buscando: o comprometimento”, enfatiza Marcos.

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.