Quanto vale a vida de milhares de espécies que são sacrificadas pela ganância de poucos que lucram milhões?

Animais silvestres – mais de 300 – provenientes da Bahia foram apreendidos entre as cidades de Vargem e Bragança Paulista

Na semana passada, mais de 300 animais silvestres provenientes da Bahia foram apreendidos entre os municípios de Vargem e Bragança Paulista.

Essas aves, presas em gaiolas ou viveiros, mal conseguiam pular de um poleiro a outro ou bater as asas. “Quem vai pagar por isso? Certamente não serão os responsáveis pelo tráfico, mas sim, os próprios animais indefesos que, além do sofrimento, infelizmente já estão pagando com a vida”, denuncia a Associação Mata Ciliar, que toda semana recebe aves aprendidas, compradas ilegalmente ou retiradas da natureza, muitas acabam morrendo.

Ela defende que aqueles que realmente admiram a beleza dessas aves, podem oferecer comida, água e abrigo aos pássaros que voam livres, ao redor de nossas casas. Há melhores formas de conviver com a fauna do que aprisioná-la.

O custo para transportar as aves de volta a seu local de origem é muito alto. “Para essas aves que vieram da Bahia vamos precisar de 35 mil reais, para levá-las de volta!”, comenta Cristina Harumi Adania, coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar.

Privilegiada por sua extensa área rural, Socorro também está na mira de caçadores. No ano passado, uma série de operações foram desencadeadas pela Guarda Civil Municipal. Somente numa semana de novembro, foram recuperadas e devolvidas para a natureza 55 aves, de diversas espécies.

Exemplo de maus tratos foi o tucano resgatado numa estrada de Socorro, após uma denúncia. “Ele foi pego filhote e tratado de uma forma toda inadequada, estava debilitado, doente e problemas neurológicos”, revelou uma das veterinárias voluntárias. Mesmo com três semanas de tratamento, o animal não teve tempo de chegar a Associação Mata Ciliar, pois morreu.  Cristina lamenta o fato desses animais serem colocados em gaiolas, tendo asas e rabo cortados e comumente sendo alimentados com ração e outras formas totalmente inadequadas.

Denúncias e mudanças na lei

“Nós, como cidadãos, precisamos denunciar todo e qualquer mau trato contra a fauna – caça, tráficos de animais silvestres, pássaros nas gaiolas, arapucas em matas e outras situações suspeitas. Precisamos também cobrar dos políticos uma mudança urgente da legislação. Devemos exigir que o crime de caça e tráfico de animais silvestres seja considerado inafiançável e que seus praticantes, além de arcarem com os custos do tratamento, manutenção e reabilitação dos animais resgatados, cumpram penas efetivas de prisão. Até quando iremos tolerar a impunidade para caçadores e traficantes de animais silvestres?”, acrescenta a Mata Ciliar.

Associação Mata Ciliar

A Associação Mata Ciliar é uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos, com unidades em Pedreira e Jundiaí, que desenvolve diversas ações para a conservação da biodiversidade. Para ajudar a levantar recursos para pagar as despesas com as aves apreendidas a instituição deu início a uma campanha e está recebendo contribuições financeiras. As doações poderão ser feitas na conta da Associação Mata Ciliar: Banco Santander, Agencia 0281, c/c 13002007-8, CNPJ 61056933/0001-95.

Denuncie Anonimamente

Policia Miliar Ambiental de Amparo (19) 3807-5435  – CETESB Fauna – 0800- 113560 digito 8

DENUNCIE pelo site: https://sigam.ambiente.sp.gov.br/sigam3/ em: Denuncia Ambiental / Fauna animais em cativeiro.  Quanto Mais ligações Menos Crimes!

Tucano resgatado em Socorro após uma denúncia de maus tratos

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.