Represamento das águas do Rio do Peixe causa desastre ecológico, em 1997

Na edição nº 3.985, de 21 de novembro de 1997, O Município publica a morte dos peixes, quando a CPFL fechou a comporta do Rio do Peixe, para o funcionamento dos maquinários da Usina Velha, transformando a cachoeira do Rancho Alegre em um amontoado de pedras, e causando a morte de dezenas de peixes, na época da Piracema.

Peixes morrem por falta d’água no Rio do Peixe

A CPFL tem fechado a comporta para funcionar seus maquinários da Usina Velha, deixando no lugar da Cachoeira do Rancho Alegre um amontoado de pedras e peixes mortos.

Na última terça-feira (11), os peixes, ao tentar subir o rio para desovar, encontraram a cachoeira com nível muito baixo de água e morreram.

No local, estiveram presentes, o sr. Prefeito Municipal Wandir de Faria, Diretores da Associação de Repovoamento e Preservação do Rio do Peixe e Policiais Florestais que colaboraram para a rápida abertura das comportas pela Companhia Paulista de Força e Luz.

O represamento das águas acaba ainda interferindo no sistema de captação da SABESP, pois o fechamento das comportas prejudica a captação de água para a estação de tratamento, (ETA) uma vez que coincida o horário, informou o sr. Luiz Carlos, Gerente da Sabesp. Acrescentou, ainda, que os técnicos da CPFL já deram a devida manutenção no sistema automático de represamento, há cerca de 30 dias.

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.