Socorrenses marcam presença no São Paulo Fashion Week e falam sobre as tendências do mercado

Entre os dias 13 e 18 de outubro, a capital paulista recebeu o maior evento de moda do Brasil e o quinto maior do mundo: o São Paulo Fashion Week. Movimentando mais de R$ 5 milhões no mercado nacional, o SPFW reúne, duas vezes por ano, grandes grifes, top models, jornalistas, editores, influencers e celebridades. E por que não socorrenses?

Na última edição, o influencer Diogo Machado, juntamente com o fotógrafo Evandro Santos e Amanda Zambotto estiveram presentes e contaram para o Jornal O Município qual foi a impressão que tiveram para as próximas tendências do mundo da moda.

A moda é algo surpreendente e repentino!
Amanda Zambotto foi duas vezes, a primeira na edição número 46 em 2018, e na edição númeroa 48, agora em 2019. Na primeira vez, foi convidada por uma amiga e assistiu o desfile do Samuel Cirnansck. “Nessa última edição, fui convidada pelo Diogo Rufino para assistir ao desfile do João Pimenta e amei!”.

A moda é algo surpreendente e repentino. Dependendo da época, existem marcas e estilistas mais em alta e, depois, outros se sobressaem. Por esse motivo, em cada edição, muitos têm a oportunidade de mostrar seu trabalho, alguns se mantém, outros saem e outros entram. O estilista Isaac Silva, por exemplo, entrou nessa edição. Fora isso, achei muito interessante alguns patrocinadores com stands, como a Truss.

Tendências
Pelos desfiles que acompanhei e também baseada em minha pesquisa nas edições de Primavera/ Verão de NY, Paris, Londres e Milão, acredito que a maior tendência é a alfaiataria. Além disso, o brilho, lantejoulas e bordados com glitter vão continuar em alta. A estampa floral é algo que foi muito trabalhado, de diversas formas. E, por fim, a renda: havia muitas peças feitas à mão. Isso achei muito interessante, o mundo está tão acelerado e é legal ver cada vez mais as marcas se reposicionando e saindo da produção em massa, para algo manual e personalizado, principalmente por estarmos no Brasil, um país que valoriza o trabalho manual.

As tendências vêm de fora e, por isso, sabemos o que será usado aqui
O influencer Diogo Machado marca presença no SPFW desde 2015. Para ele, embora o evento tenha voltado para o Parque Ibirapuera, não apresentou nada de novo.

“Mantém-se o formato com numeração (SPFW nº 48) sem definir estações e algumas marcas adotam o modelo “see now, buy now”, ou seja, o consumidor já pode adquirir algumas peças após o desfile.

Em compensação, a Ellus e a Cavalera voltaram, porém, Ratier não desfilou. Isaac Silva apareceu pela primeira vez. É um jogo de tabuleiros. Um entra. Outro sai. Depois volta.

Na minha opinião, essa edição estava melhor em comparação à passada, mas estamos sofrendo com a crise econômica e com a crise na indústria têxtil. Os investidores sumiram, a qualidade caiu e o glamour está cada vez menor.

Tendências
Na realidade as tendências vêm de fora: Milão, Paris, Londres e Nova Iorque. Nós já sabemos o que será usado aqui, pois uma estação anterior já foi usada lá.

A primavera/verão lá acontece enquanto ainda estamos no outono/inverno. Seis meses depois, nós só adaptamos ao nosso clima, cultura e aspectos locais.

Diogo conta que, segundo especialistas dessa edição podemos extrair algumas tendências: roupas utilitárias (com bolsos, zíperes e tecidos térmicos e com muitas outras funções), alfaiataria moderna (cores diferenciadas e peças nada convencionais), tops volumosos (parte de cima com babados e mangas cheias), corsets e lingeries à mostra, coletes funcionais para homens (com muitos bolsos e materiais impermeáveis como o nylon), romantismo com florais delicados, tonalidades prateadas de peças em paetês e cartela de cores em tons de areia.

 O mais interessante foi ver as pessoas circulando vestidas de “elas mesmas”, sem rótulos

O fotógrafo Evandro Santos foi pela primeira vez. “Como estou focando a minha fotografia mais na moda, ensaios, senti a necessidade de vivenciar um pouco mais e nada melhor que SPFW. Fiz um editorial para a Melissa, com o Diogo, foi quando citei que pretendia ir e ele me convidou para acompanhá-lo, para fazermos material para o Blog Moda para Homens”.

Consegui acompanhar dois desfiles. O primeiro, de João Pimenta, que desfilou muita alfaiataria e oversized, utilizando linho, seda, lã, resinados, algodão, crepe e renda de algodão. Para este desfile, ele se inspirou em Lilith (mitologia) e no universo lésbico, com uma trilha super diferente, até fiz a pesquisa para entender um pouco mais sobre a letra e um trecho superinteressante diz: “Seja tudo aquilo que quiser, seja homem ou mulher. Seja firme, esteja pronta, para o que der e vier”

E o segundo foi da Amapo Jeans, em parceria com o Senac do CE, trouxe como inspiração um universo mais nordestino, na coleção Intitulada SerTão Cariri, e fez do desfile uma verdadeira apresentação, com direito a dança de forró, com muita cor, paetes, croches, looks volumosos, dando um tom realmente mais festivo ao desfile.

Claro que os desfiles são o ponto alto do SPFW, mas o mais interessante foi ver circulando pelo pavilhão pessoas vestidas de “elas mesmas”, sem qualquer tipo de rótulo. Acho que é isso que a real moda traz a você: se sentir bem, estar bem, independente da opinião ou julgamento de qualquer pessoa. Essa é a maior tendência: ser você.

 

Compartilhar/Favoritos

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você deve ser de logged em para postar um comentário.