Belluzzo Produções inicia as gravações de “Perpétuo”

Leitura obrigatória

 

O mais novo filme da Belluzzo Produções trará ao público socorrense o cenário da Idade Média Europeia. “Em 1252, o Papa Inocêncio IV editou a bula papal denominada “Ad extirpanda”, a qual institucionalizou o Tribunal da Inquisição e autorizou o uso da tortura. O poder secular era obrigado a contribuir com a atividade do tribunal da Igreja”, explica o Diretor e Roteirista Augusto Belluzzo que, com o auxílio do Professor Paulo Fuentes, escreveu a trama do filme. “É nesse clima tenso que decidimos semear o enlace entre dois casais que deverão provar sua fé para a conquista de seus anseios”.

O fictício Condado de Champignon foi eleito como principal local que mistura a vida dos camponeses com as atividades dos religiosos da França; tendo a velha floresta importante contribuição para os personagens que rapinam os bens dos viajantes e membros eclesiásticos locais. Apollón, o Cardeal que recebeu como punição a gestão de um esquecido Condado nos confins da França, não terá descanso enquanto não dizimar os bandoleiros que ameaçam a paz nos vilarejos da região. Um boato de que o demônio tocou o Condado faz com que uma verdadeira caça às bruxas seja a única justificativa de um povo histérico que já não consegue mais viver às custas de uma fé deteriorada. Enquanto a discórdia reina absoluta, surge em cena a casta Julienne, herdeira da família Bordeaux, nobre estirpe de Champignon, a qual descobrirá que o amor que sente por Maurice pode ocasionar sua própria ruína emocional. O mistério prossegue nos acordes dos vaticínios de uma velha mulher conhecida entre todos como “a necromante”, figura que habita a velha floresta em meio aos bandoleiros e que está disposta a elucidar o futuro daquela terra encoberta pelo caos. Será que Louis Leroy, o “Rei dos Ladrões” conseguirá manter seu povo à salvo das cruzes e espadas erguidas pelo ambicioso Cardeal? Uma trama que só será esclarecida no próximo ano!

“As gravações estão sublimes com o farto e talentoso trabalho exercido por César Farias, Marcos Farias, Hugo Borin e a fotógrafa Kátia Mazolini que, auxiliados artisticamente pelo Mestre das Artes Plásticas Ulysses Farias, realizam um primoroso labor. A Direção de Produção permanece nas mãos de Tamires Vieira; a de Figurino com Lou Lopes; Marcela Suman dirige os passos de dança e a Maquiagem ficou por conta de Ingrid Paiva, a qual demonstrou seu talento com a perfeição de sua arte nos rostos dos atores”, explica Augusto, que ainda destaca a participação dos alunos do grupo de teatro Sessão Livre, da professora Elsa Farias. “Foram 15 crianças, que gravaram em uma floresta de eucalipto, no Bairro Cubas”.

Nesta produção a trilha sonora será exclusivamente composta por Alexandre Paiva, fazendo com que o longa metragem tenha uma qualidade de sonoplastia muito além daquilo que a produtora dispunha nas gravações anteriores. Além disso a Belluzzo Produções uniu-se com a Banda Noizzy, grupo de música socorrense que, juntamente com a estreia do filme, terá um clipe embutido em sua história, haja vista que seus fãs poderão assistir os músicos em atuação e, os seguidores da Produtora, também verão seus atores integrando o clipe da banda. “Quem assistir ao filme, assistirá o clipe da Noizzy; e quem assistir ao clipe da Noizzy, assistirá uma parte do filme”, brinca Augusto Belluzzo apostando na publicidade da união entre os grupos da cidade.

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias