Câmara Municipal arquiva instalação de CPI que levou à renúncia do prefeito Valdir

Leitura obrigatória

A edição nº 3.887, de 24 de novembro de 1995, destaca em manchete de capa, a aprovação do requerimento que arquiva a instalação de CPI contra o ex-prefeito José Valdir Bortolasso, e cujo propósito o levou a renunciar ao mandato de prefeito.

Aprovação de requerimento arquiva instalação de CPI

Na última sessão da Câmara de Socorro, realizada na noite de 20/11 (segunda-feira) para espanto de alguns vereadores foi colocado em votação um requerimento de autoria do Presidente da Casa, Nilton Tavares – PMDB, assinado por vários vereadores, propondo o arquivamento de um requerimento já aprovado em plenário que visava a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito para apurar infração político-administrativa do então prefeito José Valdir Bortolasso. O arquivamento se baseava no fato de que com a renúncia, nada mais teria de se apurar, o que contraria um Decreto Lei Federal o qual esclarece que mesmo nos casos de renúncia, os trabalhos das Comissões têm de prosseguir.

Os vereadores, que na oportunidade aprovaram a instalação da CPI por unanimidade voltaram atrás, aprovando novo requerimento que pedia o citado arquivamento. Cabe lembrar que a Comissão de Inquérito iria apurar a responsabilidade do ex-prefeito no tocante aos repasses dos duodécimos à Câmara local.

Os vereadores José Eduardo-Pé, Prof. Dimas, Gerson Barbosa, Walter Binotti e Valdir Toledo mantiveram seus votos em favor da instalação dessa CPI, mas os vereadores Dulcídio de Souza Pinto, José Carlos Mazolini, Gilberto Jesus de Toledo, Antonio de Pádua Lima, Gentil Toneli e Antonio Belon Fernandes, todos do PMDB e os vereadores Gumercindo da Silva Pinto-Chino e Albertina C. Ribeiro, estes do PSD, voltaram atrás e foram contra a mesma CPI.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias