Com nove quadros gravados, Pedrinho é sucesso no Pânico da Band

Leitura obrigatória


Um quadro recentemente criado no Programa Pânico na Band, foi a grande oportunidade do estudante universitário Pedro Carvallio realizar o sonho de se tornar famoso e estar na televisão.

Com 1,25m de altura, Pedro sempre chamou a atenção por onde passava e, com seu jeito extrovertido e brincalhão, era o destaque nas rodas de amigos. “Logo que entrei na faculdade, fui muito assediado pelo pessoal, tanto do meu curso como dos outros; era o aluno anão do Mackenzie”, afirma ele, que está cursando o terceiro semestre de publicidade e propaganda.

O socorrense conta que, cursar publicidade, já era em si a realização de um sonho, pois, embora no começo ainda tivesse dúvidas, agora tem a certeza da carreira profissional que quer seguir e, por pouco, seu outro sonho, o de ser famoso, quase escapou. “Há alguns anos eu já havia mandado um vídeo para o Pânico que, inclusive, passou na TV, mas isso já faz tempo e eu era menor de idade, ainda… Na última edição dos Jogos Universitários de Comunicação, realizada no feriado de Corpus Christi, a equipe do quadro “Universitários em Pânico” esteve nas festas, mas eu não fiquei sabendo”, lembra-se ele que, na época, lamentou ter perdido essa chance. “Um tempo depois aconteceu a festa pós-jogos e um amigo meu veio dizer que eles estavam lá… E não deu outra, fui entrevistado e já soltei o bordão que me deixou famoso: “Errrrrooou”. Na semana seguinte, teve outra festa e eles se lembraram de mim; entrevistaram-me, novamente, e pegaram meu contato”.

Na mesma semana, a equipe do programa ligou para ele, pegou os seus dados e perguntou se tinha o interesse de participar de alguns quadros do programa. O primeiro deles foi o do “Baixas Horas” e, logo depois, com o contato que pegou da produção, Pedrinho aproveitou para assistir de perto a “Igreja do Poderoso” e não deu outra: ele foi entrevistado e convidado para assistir à gravação do palco, visitar o camarim e assistir à segunda sessão, com os produtores. Em seguida, ele foi chamado para gravar um quadro de jogo de futebol ,com o time de outros anões.

E a partir daí, o sucesso começou nas redes sociais e até nas ruas, tanto de Socorro como de São Paulo. “Era algo que sempre quis! E, pelo que tenho percebido, eles estão gostando, dizem que me acham engraçado e gostam do meu jeito. Nas primeiras gravações já fiz contato com todo o pessoal, conversei com todo mundo e peguei diversas dicas. É uma chance que não posso deixar escapar”, enfatiza Pedrinho.

Recentemente, o socorrense participou de outras gravações que, inclusive, foram ao ar no último domingo, dia 26. Uma delas foi a participação no quadro “K Game Show”, um jogo de perguntas e respostas, no qual ele perdeu e, com isso, já tem participação garantida no próximo. E, o outro, foi sua primeira chance como repórter, o que para ele foi inédito; afinal, não tinha noção alguma de como entrevistar alguém. “Eles me orientaram muito, antes da gravação, principalmente na abordagem dos entrevistados. Tirando as brincadeiras, cada gravação é uma nova lição, são novos contatos e novas oportunidades”, afirma o socorrense, que tem a previsão de gravar novos quadros pelo programa.

“Tenho tudo o que quero nas mãos! Pedi a Deus e agora ele está me abençoando. Tenho consciência de que posso não ter um futuro no Programa do Pânico, mas tenho a certeza de que quero seguir na carreira, como publicitário. No momento, apareceram as duas oportunidades e estou conseguindo conciliar a faculdade com as gravações, inclusive, fazendo contatos que poderão me ajudar no futuro. Portanto, se eu não ficar famoso, vou continuar fazendo algo que gosto, por isso estou aproveitando o presente, unindo o útil ao agradável”, encerra ele.

 

Artigo anteriorHoje: Corumbá  
Próximo artigoEdição de 07/08/2
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias