Edição comemorativa aos 169 anos de Socorro conta sua história e seu progresso

Leitura obrigatória

Na edição nº 4.022, de 7 de agosto de 1998, O Município publica um caderno especial, uma edição comemorativa ao 169º aniversário de Socorro de 12 páginas, nas quais conta sua história e sua gente, desde o distante 9 de agosto de 1829, data de sua fundação, até a data de seu aniversário de 169 anos.

169 ANOS
Sua história… Sua gente
O título de cidade
A Vila de Socorro, pela Lei Provincial nº 20, de 17 de março de 1883, foi elevada à categoria de Cidade.
A 07 de Outubro de 1883, foi festivamente inaugurada a Capela-mor da Matriz.
Era necessário iluminar a cidade que progredia. A Câmara Municipal não dispunha de recursos suficientes, nessa época para a instalação de lampiões.
Então, em 1883, um grupo de particulares tendo à frente o carpinteiro José Romualdo de Andrade, mandou colocar à sua custa os postes e os lampiões para iluminação do centro da cidade, do Largo do Rosário (Paço Municipal) até a esquina da Rua Visconde do Rio Branco (hoje Rua Alfredo de Oliveira Santos).
Só mais tarde – anos depois – a Câmara Municipal assumiu esse serviço.
Socorro foi iluminada com lampiões à querosene desde sua elevação à Cidade, em 1883 até 1910, ano em que se inaugurou a iluminação elétrica.
Urgia trazer ao Município a autoridade de um Juiz togado. Então, pelo Decreto nº 9289, de 27 de Setembro de 1884, foi criado o lugar de Juiz Municipal para o termo de Socorro. Por Decreto de 07 de Outubro de 1884 foi nomeado o 1º Juiz – Dr. Bartholomeu Antunes de Oliveira Nery para os cargos de Juiz Municipal e Juiz de Órfãos, tendo sido empossado a 03 de fevereiro de 1885.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias