Ela escolheu uma vida nas alturas, de aprendizado e sem rotina! Escolheu ser comissária de bordo!

Leitura obrigatória

ISABELLI comissáriViajar o mundo, conhecer pessoas, outras culturas, outras cidades e países… Privilégio para turistas e viajantes? Não, esta é a rotina de uma comissária de bordo, profissão escolhida pela socorrense Isabelli Faria, que se forma em novembro deste ano. Ela nos concedeu uma entrevista, contando como escolheu a profissão e como se prepara para uma rotina tão diferente da qual vive, atualmente.

Por que você resolveu fazer o curso de comissária de bordo? Onde é o curso? Qual a periodicidade? Quando termina?
Nunca pensei nessa profissão. Já pensei em ser desde médica até chefe de cozinha! Mas sempre que pesquisava cada profissão a fundo, via que não era para mim. Mas quando viajei pela última vez, olhei para as comissárias de outro modo e resolvi pesquisar mais sobre o trabalho delas, e aí me apaixonei!  A facilidade de conhecer outras culturas, outras pessoas e, principalmente, não ter a mesma rotina todos os dias, me encantou e agora sei que escolhi a profissão certa! Eu faço o curso na cidade de Campinas, minha escola se chama Pro Flight e eu adoro! É bem cansativo, uma vez que a minha turma estuda somente aos sábados, o dia todo. Mas cada esforço e sacrifício, com certeza, farão toda a diferença, lá na frente. A minha escola dispõe de cursos de segunda a sexta, aos sábados, e aos sábados e domingos. Para cada modalidade, o tempo do curso varia: eu, por exemplo, me formo em novembro.

O curso superou suas expectativas? Como está sendo?
Embora tenha pesquisado muito antes de me inscrever na escola, cada dia de aula é novo! Procurei informações tanto na internet quando com pessoas do meio da aviação. Ainda assim, o curso sempre me surpreende! Não é fácil ter alguns meses para aprender algo que você vai usar o resto dos seus dias, mas com garra e dedicação, é possível! No curso conhecemos pessoas de diversos lugares, ideais e estilos, mas todos com o mesmo objetivo: VOAR! As amizades que ali conquistei, com certeza serão eternas!

Teve alguma situação, durante o curso, que marcou mais para você?
Por enquanto, a situação que mais me marcou foi a marinharia, uma prova prática na água. Lá, sentimos na pele como é uma sobrevivência no mar e colocamos em prática tudo que já estudamos: uso de colete salva-vidas, como resgatar uma vítima, como subir e descer no bote (acredite, tem um jeito certo! Rs) etc.
No dia 7 de novembro faremos a prática na selva e eu já sinto que será tão marcante quanto a marinharia!

Quais são as próximas etapas, após sua formação?
Após a minha formação e a aprovação na ANAC, o próximo passo é elaborar meu currículo, enviá-lo a diversas companhias aéreas e, também, inscrever-me no site de cada uma! Feito isso, é só aguardar ser chamada para algum processo seletivo.

Como analisa o mercado de trabalho nessa área?
O mercado é bem amplo, uma vez que, antigamente, era um luxo viajar de avião, hoje já é uma necessidade. As companhias aéreas crescem cada vez mais e a rotatividade, também. O número de pessoas que necessitam desse meio de transporte, hoje, só aumenta! De acordo com a IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo) que reúne as 280 maiores empresas do ramo de aviação do mundo, esse setor está em franco crescimento, no país! Dados repassados por essa associação indicam que o Brasil será o terceiro mercado de aviação, até o ano de 2017, perdendo posição somente para os EUA e China.

Já tem noção de como será sua rotina? Já se sente preparada?
Um dos fatos que me fez escolher a profissão é justamente esse: não ter uma rotina. Claro que todos os comissários sempre sabem para onde vão, por que recebem a sua escala, todo mês, mas o fato de sempre poder interagir com pessoas diferentes, em lugares diferentes, é fantástico! Pelo menos para mim…
E quanto a me sentir preparada, a cada dia me preparo um pouco mais, para viver a vida que escolhi!

Algo mais?
É indispensável falar sobre o idioma. Hoje em dia, falar mais que sua língua nativa não é mais um diferencial e sim uma obrigação. O inglês, por exemplo, é falado quase que no mundo todo, e é também o idioma mais pedido pelas companhias aéreas. Algumas companhias internacionais, por exemplo, que recrutam brasileiros, nem exigem o curso para comissário de voo, apenas o inglês fluente. As chamadas são feitas no Brasil e, para se cadastrar, é necessário apenas se inscrever no site da empresa.
Feito isso, é preciso comparecer ao famoso Open Day, participar de várias atividades e etapas. Se passar por todas elas, com excelência, está dentro!

 

 

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias