Em 1997, o GEA dá início à campanha para coleta seletiva, como solução para a questão do lixo

Leitura obrigatória

Hoje, uma realidade em Socorro, a coleta seletiva do lixo teve início por meio de uma proposta feita pelo Grupo Ecológico Água – GEA, em 1997, conforme matéria publicada em O Município, na edição nº 3.950, de 7 de março daquele ano.

Grupo Ecológico Água sugere coleta seletiva como solução imediata para o lixo

Partindo-se do princípio que o problema “lixo” ganhou um destaque especial dentro da temática ambiental, no ecossistema urbano, é possível entendermos a coleta seletiva de lixo como sendo uma ação de cidadania de efeito social transformador na reeducação de uma sociedade preocupada com a qualidade de vida. Desde que o lixo se tornou um “caos” nos grandes centros urbanos, veiculando doenças, deteriorando a paisagem, aumentando as condições de uma miséria absoluta, órgãos oficiais e a sociedade em geral vêm mobilizando-se num trabalho de intensa atividade educativa relacionada principalmente com a Educação Ambiental.

(…) O GEA – Grupo Ecológico Água, membro do núcleo regional de Educação Ambiental da Bacia do Rio Mogi Guaçu, possui um projeto de coleta seletiva já implantada na Prefeitura Municipal de Mogi Guaçu e que através do mesmo núcleo será ampliado para os 21 municípios que compõem esta mesma Bacia. A proposta de se trabalhar a coleta seletiva é exatamente a de formar uma consciência crítica numa sociedade que caminha para o terceiro milênio, buscando a qualidade de vida como fonte restauradora do bem-estar social, físico e mental da sociedade. (…) Entendemos que a coleta seletiva seja um dos gestos de participação mais simples que a população do município possa realizar no compromisso com o Poder Público para a melhoria das condições de vida de uma sociedade em constante transformação e crescimento. É preciso compreender que todo o processo de Educação Ambiental só obtém êxito se o pensamento for global e a sua ação for local para que nenhum mecanismo interaja de forma negativa, e ganhe o respeito devido da população. (…) Assim sendo, o GEA convida a Prefeitura Municipal de Socorro através do CONDEMA, COPLAIR, Conselho Municipal de Saúde e Conselho Municipal de Educação, sociedade civil e Empresa Privada a discutir a viabilidade de implantação deste projeto em nosso município e com isso, minimizar um problema que consideramos prioridade. 

Giceli Guimãres Fleming
Diretora Tesoureira

Artigo anteriorFestas de Agosto, na década de 50
Próximo artigoFogo!
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias