Há oito anos ele se dedica ao trabalho em prol dos animais

Leitura obrigatória

O trabalho de conscientização sobre a posse responsável e castração dos animais domésticos e de rua é feito por diversas pessoas, na cidade. E entre estes diversos protetores encontramos o senhor José Paschoalotto, que trabalha com a proteção de animais há oito anos, quando começou a observar os animais de rua e leva-los para casa. “Comecei pegando os de rua e depois peguei alguns do canil, para tratá-los. Quando estavam bons, eu providenciava a adoção deles e, caso visse que a pessoa não estava tratando-os da forma correta, ia lá e tomava de volta”, lembra-se ele.

De janeiro até junho deste ano, Paschoal providenciou a castração de 45 animais, além de conseguir a doação de 223 sacos de ração e 22 vacinas V8 e V10. Além disso, em 2013, foram castrados 182 animais, e doados 313 sacos de ração e 71 vacinas. “Somente no ano passado, deixaram de nascer mais de mil filhotes que poderiam sofrer, sendo largados nas ruas. As castrações deste ano evitaram o nascimento de cerca de 230 animais”, calcula ele.

A verba para este trabalho vem do bazar que é realizado em uma garagem cedida pela professora Bernadete, à Rua Étore Mantovani, a quem ele não tem que pagar um centavo de aluguel ou luz. “Há dois anos tenho o bazar, que sobrevive por meio das doa-ções, tanto por parte de malharias, que cedem produtos novos e seminovos, como por parte da população, que doa produtos de qualidade para serem vendidos. Aquelas doações que chegam sem condições de serem vendidas, eu imediatamente passo para frente, para quem necessita”, afirma ele.

Além da verba arrecadada com o bazar, seu Paschoal conta com a doação feita por alguns empresários da área central da cidade. Ele também presta serviço para a ONG São Lázaro, para quem repassa as notas de tudo o que foi feito com o dinheiro que ganha.

As castrações, doação de ração e vacina são dadas para pessoas já cadastradas, que possuem muitos animais e não têm condições de dar uma vida digna a eles. “Eu doo o saco de ração e atendo todos que vêm pedir ajuda. Não posso julgar e nem afirmar que eles realmente necessitam, ou então que eles não vão pegar a doação e vender… Minha consciência diz para ajudá-los, porém, se eles precisam ou não, nunca vou saber”, enfatiza Paschoal.

Mas, mesmo contando com a colaboração de veterinários e outros profissionais, a verba arrecadada é insuficiente para as doações que ele tem feito, e isso faz com que ele acumule dívidas. Paschoal afirma que, em novembro do ano passado, conseguiu arrecadar R$ 1.600,00, porém, em junho deste ano, angariou apenas R$ 500,00. “Não sei se é a Copa ou por algum outro motivo que o pessoal não compareceu, este ano. Tenho sentido que o número de colaboradores tem diminuído, enquanto o número de pessoas que tenho ajudado aumenta”, lamenta Paschoal, que completa: “Se pelo menos o pessoal que eu ajudo viesse e colaborasse com o bazar, já seria algo, pois eles iriam ter um gasto de dez reais, que fosse, e isso iria voltar, beneficiando a eles. Mas, enfim, não podemos obrigar ninguém a nada, o importante é fazermos a nossa parte”.

“Gostaria de agradecer a todos que, de alguma forma colaboram com o meu trabalho: aos que compram no bazar, aos comerciantes e pessoas que fazem suas doações, seja em dinheiro ou em produtos para serem vendidos, aos veterinários, dr. Gilberto e dr. Bruno, que fazem todo o serviço a um preço acessível aos que necessitam, à Lurdes, que cuida do bazar nos dias que não posso ficar lá, enfim, a todo mundo que reserva um pouco de si, do seu tempo e dinheiro para trabalhar em prol dos animais”, finaliza Paschoal.

Serviço

O bazar promovido por Paschoal está aberto todas as quintas-feiras, sextas-feiras e sábados, das 10h às 16h, à Rua Étore Mantovani, 288. Outras informações podem ser obtidas pelos fones 3855-7622 ou 98127-8196.

 

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias