Hoje: Cascia/Itália  

Leitura obrigatória

Continuando com os depoimentos de peregrinos que viajaram pela Terra Santa (Israel) e locais sagrados da Itália, no mês de outubro de 2015, nesta semana é Maria Inês Mantovani da Silva quem nos fala de um dos locais mais visitados da Itália, a cidade de Cascia, por nós, brasileiros, conhecida como Cássia, a terra de Santa Rita.

Fale, Maria Inês!

Primeiramente, vou falar um pouco da origem dessa cidade pela qual tanto me encantei. Como todos os centros da Umbria, a cidade de Cascia  é de origem muito antiga, foi fundada antes do nascimento de Roma, tornando-se um centro de grande importância.

Cascia ficou bastante conhecida, pois foi em um dos seus povoados, Rocca Porena, que nasceu Santa Rita, no dia 23 de maio de 1381 (antes chamada Rita Lotti). Ela casou-se jovem, mas, com o passar dos tempos, perde o esposo e seus dois filhos. Desde criança, Rita tinha o desejo de consagrar-se à vida religiosa e passa, então, a dedicar-se totalmente aos pobres e enfermos. Sentindo o chamado de Deus, procurou o Convento das Irmãs Agostinianas de Santa Maria Madalena, em Cascia, onde se tornou religiosa. A partir daí já iniciam, à sua volta, fatos estranhos e milagres. Santa Rita faleceu aos 76 anos de idade. Foi beatificada em 1627 e canonizada em 24 de maio de 1900, pelo papa Leão XIII.

Sempre tive vontade de conhecer Cascia e, após vários passeios lindos, nosso grupo seguiu para essa cidade. Já no percurso, pude observar a natureza tão bela: a estrada sinuosa, montanhas diferentes e árvores lindíssimas formaram paisagens, uma mais bonita que a outra. Quando chegamos, notei que a cidade era pequena, mas bastante acolhedora. Milhares de peregrinos do mundo todo visitam o Mosteiro e a Basílica de Santa Rita.

É emocionante entrar nesse Mosteiro e ver de perto as repartições, as dependências, as passagens estreitas e as escadas rústicas que dificultam a circulação no mesmo.

E pensar que Santa Rita viveu lá, por tanto tempo! Quanto sacrifício! Sua vocação era sempre colocada em prova, mas ela cumpria sua missão, obediente e submissa. Do lado externo do Mosteiro há um belo jardim com muitas roseiras, pois as rosas também foram sinais de milagres e se tornaram tradição das pessoas receberem essas flores, após algum evento.

Também fomos à Basílica de Santa Rita que, comparada com outras igrejas visitadas, é menor, mais simples, mas também muito bonita e, principalmente, a morada da Santa Rita! É interessante o acesso para chegar até ela: por meio de escadas rolantes pudemos ir com facilidade, pois ela se situa num lugar bem alto! E, mais uma vez, fui tomada por forte emoção, ao chegar bem perto do local onde está a urna que conserva o corpo incorrupto da querida Santa. Essa urna é ladeada por um ataúde de cristal. Desde o dia de sua morte, até hoje, uma fragrância de rosas exala de seu corpo e a todos encanta e emociona! Parece que ela está dormindo e, para mim, parecia um sonho, vê-la de tão perto! Nessa Basílica, tivemos outra celebração, realizada pelo nosso guia espiritual, o padre Vicente que, mais uma vez, nos passou grande espiritualidade. No final, recebemos as rosas tão desejadas!

Também em Cássia encontra-se a Relíquia de um insigne Milagre Eucarístico, acontecido em  Siena, no ano de 1330. A história é a seguinte: “Nessa região, um sacerdote, ao levar o Santo Sacramento a um camponês doente, pegou uma partícula consagrada e a pôs, irreverentemente, entre as páginas de seu breviário. Após a confissão, o sacerdote abriu o livro para pegar a Hóstia Consagrada, mas qual foi seu espanto! A partícula apresentava uma cor vermelha de sangue vivo, ao ponto de impregnar as duas páginas, nas quais estava colocada. O sacerdote foi perdoado pelo padre Simone Fidati de Cássia, que levou uma das páginas para Perúguia e a outra, na qual estava a Hóstia Consagrada, deixou na igreja de Santo Agostinho, em Cássia. Essa Relíquia, através dos séculos, foi sempre honrada pelos fiéis, com grande veneração”.

O fluxo de peregrinos aumenta cada vez mais, em razão desse grande milagre Eucarístico e, também, pelos fatos extraordinários que são atribuídos à intercessão da adorada Santa Rita!

Eu agradeço a Deus por ter participado dessa maravilhosa viagem. Também sou grata ao padre Vicente e ao guia Cleiton, que foram muito atenciosos e ótimos companheiros.

Foi uma bênção! Visite Cássia, você vai se emocionar muito!

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias