Hoje: Colônia

Leitura obrigatória

 

A palavra charme talvez defina o sentimento de visitar a simpática Colônia del Sacramento, no Uruguai. Seu Centro Histórico é reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, guardando a herança dos conflitos entre portugueses e espanhóis, que disputavam o controle da península estrategicamente localizada as margens do Rio da Prata.

Fundada em 1680, a pequena cidade pode ser visitada em passeio de um dia. Na maioria das vezes, os turistas chegam vindo de Buenos Aires/Argentina, pela água, atravessando o rio mais largo do mundo, num passeio de barco que dura cerca de 45 minutos. Outra opção, um pouco mais longa, é via terrestre, vinda pela capital Montevideo, percorrendo cerca de 2 horas de estrada (180 km). A maioria dos hotéis turísticos e agências comercializam o passeio, com guia, que contam a história das fortalezas, monumentos e ruínas remanescentes.

O “portão da cidadela”, do qual se desprendem duas muralhas que serviam de proteção para a cidade, dá acesso à praça principal, de onde é possível apreciar a “Calle de los Suspiros”, uma das mais famosas ruas, muito estreita e pavimentada com pedras.

O farol foi erguido sobre as ruínas do Convento de San Francisco, construído em 1694, mas destruído por um incêndio, 10 anos depois. Inaugurado 1857, tem uma altura de 34 metros. É possível subir as estreitas escadas do farol, para apreciar a vista e tirar fotos. Museus também são atrações e podem ser visitados, como a Casa de Nacarello, uma restauração de uma típica habitação portuguesa do século XVIII.

Outro edifício antigo é a Basílica del Santíssimo Sacramento, a mais antiga do país. Já a denominada Casa del Gobernador consiste em um conjunto de ruínas, cimentos de pedras e outros objetos do período lusitano, encontrados após uma escavação.

Fora do Centro Histórico, outro local muito visitado é a famosa Plaza de Toros. Trata-se das ruínas de um estádio, com capacidade para 10.000 espectadores, destinado às touradas. Foi utilizado somente por dois anos, visto que, em 1912, deixou de funcionar, por ordem do governo. Hoje, encontra-se fechado, para restauração.

Com o crescimento do turismo, Colônia passou a contar com uma grande variedade de restaurantes e cafeterias, tornando a experiência histórica ainda mais interessante, com boa parte dos comércios localizados dentro de edifícios antigos, que conservam suas estruturas centenárias.

 

 

Participe! Compartilhe conosco sua experiência, entrando em contato pelo e-mail contato@

jornalomunicipio.com.br

Artigo anterior
Próximo artigo
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias