Hoje: La Paz

Leitura obrigatória

La Paz é o município mais populoso da Bolívia. Localiza-se no oeste do país, a 3660 metros de altitude, considerada a capital sul-americana de maior altitude. Tem aproximadamente 2.087.597 habitantes. Embora Sucre continue legalmente a ser a capital do país, o governo tem a sua sede na cidade de La Paz, desde 1898. É ainda sede do departamento de La Paz.

A cidade de Nuestra Señora de La Paz (ou simplesmente “La Paz”) foi fundada em 20 de outubro de 1548, pelo capitão espanhol Alonso de Mendoza, no local em que, atualmente, se situa a comunidade de Laja. A fundação da cidade ocorreu por ordem de Dom Pedro de La Gasca, vice-rei do Peru naquela oportunidade, em celebração da restauração da paz naquele vice-reino. Dois dias após a fundação de La Paz, dirigindo-se o capitão Mendoza ao vale de Chuquiagu, nas proximidades de Laja, onde lhe pareceram o clima e a geografia mais propícios ao estabelecimento urbano – fatores estes, favorecidos pela presença do rio Choqueyapu, rico em ouro –, decidiu-se pela transferência da cidade recém-fundada a este novo sítio, local onde se encontra até os dias atuais.

Para falar desse lugar convidamos Barbara Silveira, que lá esteve durante uma folga na Faculdade de Medicina de Santa Cruz – Unifranz, onde ela estuda, há dois anos e meio.

Fale, Barbara!

A Montanha Chacaltaya foi o primeiro lugar que quis conhecer, pela fama que tem, pois todos os turistas que vão a La Paz e que gostam de aventura, primeiramente vão à Montanha Chacaltaya. Ela é muito conhecida por ser a maior montanha existente na Bolívia, muito conhecida por ser a melhor para se esquiar e, por incrível que pareça, a melhor estação para esquiar e também para conhecer o local, é o verão, porque a neve está em melhores condições para ambas as experiências.

Chacaltaya é um pico da Cordilheira dos Andes, localizada a 5600 metros de altitude, e sua temperatura pode chegar a extremos negativos; quando lá estive, a montanha marcava uma temperatura de 2 graus negativos. Que frio! Foi uma aventura chegar até lá, porque, além dela estar a 30 km da cidade de La Paz, para chegar à base, é necessário vencer um caminho de 200 metros mais ou menos , em estradas muito estreitas e perigosas, construídas nos anos de 1930.

Bem próxima à Montanha Chacaltaya, tem a Montanha Huayna Potosi que, infelizmente, não conheci, mas pelo caminho da Chacaltaya se pode vê-la. Um cenário maravilhoso e inesquecível.

O centro da cidade de La Paz é, com certeza, o local mais histórico da cidade, que abarca a principal Igreja e Convento São Francisco, os principais hotéis da cidade, as principais ruas que recebem os nomes das principais pessoas que, de algum modo, fizeram algo de muito importante para a Bolívia, como por exemplo, a Calle Murillo, o qual foi um grande soldado na guerra da Bolívia; no centro, também se encontram as principais feiras: uma delas, muito curiosa, é a Feira das Bruxas, onde se pode encontrar todo tipo de simpatia e bruxaria, todos os tipos de ervas, além de encontrar fetos conservados de llamas – não sei o porquê de se conservar esse animal, não cheguei a perguntar, mas acredito que seja algo sagrado para o povo boliviano , principalmente ao povo colla.

A igreja de São Francisco é um monumento maravilhoso, fundado por franciscanos no ano de 1549, mas, infelizmente, foi muito danificada por uma nevasca, no início do século XVII. A igreja e convento foram reconstruídos apenas no século XVIII, por pessoas importantes da cidade, que ajudaram financeiramente na obra, que foi finalizada em 1784. A torre da fachada foi construída apenas em 1885.

Ao lado da Igreja está o Museu, onde estão todos os elementos antigos da Igreja e Convento: quadros, pedras e objetos que conseguiram conservar e agora estão expostos para turistas visitarem. É muito interessante! A Igreja em si, é extraordinária e quem for a La Paz tem que visitá-la.

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias