Hoje: Sevilha

Leitura obrigatória

 

Sevilha é uma cidade espanhola situada a sudoeste da Península Ibérica e a capital da província homõnima, na Comunidade Autônoma da Andaluzia. É a quarta maior cidade espanhola (703.206 habitantes) e a quarta maior área metropolitana por número de habitantes (1.493.416 na área metropolitana, de um total de 1.900.224 na província), segundo os dados de 2009.

Convidamos Iole Bonetti, que lá esteve a passeio, para nos falar da Sevilha onde, como ela mesma diz, “em qualquer época do ano é possível encontrar coisas para fazer: passear pela cidade de mil e uma maneiras, visitar monumentos únicos, museus e exposições; ver e participar de espetáculos na rua… E sempre com o mesmo acolhimento amável por parte dos sevilhanos, o que a converte numa cidade cálida e acolhedora”.

Fale, Iole!

Sevilha é uma cidade viva, cheia de cor, alegre e divertida. É impossível permanecer num quarto de hotel, pois os sevilhanos vivem e convivem na rua e é fácil nos apaixonarmos por esta cidade universal. Imagine lindas dançarinas de flamenco, realizando elegantes movimentos de mãos e enérgicas batidas de pés, sobre o tablado; ou pense em um toureiro em seu dramático embate com o touro, na areia dourada de fim de tarde; ou, finalmente, imagine-se numa taberna barulhenta, cheia de amigos, papeando ao redor de pratinhos repletos de iguarias, como gordas azeitonas, jamón serrano (presunto cru) e chorizo, tudo regado por um perfumado vinho de Jerez, cerveja ou vino de verano (vinho com soda e limão).  A sangria (misto de vinho com soda limonada, frutas e gelo) continua sendo a grande estrela, pois sua origem está justamente na região da Andaluzia.

Assim é Sevilha, uma cidade recheada de monumentos e lugares históricos, alguns deles declarados patrimônio da humanidade pela Unesco, e que ainda guarda vestígios do povo romano e a forte influência da arte muçulmana na arquitetura.

Também é a terra dos imperadores romanos Trajano e Adriano, do magnífico Reales Alcázares – complexo de palácios no estilo mudéjar, construído ao longo de mil anos – tesouro arquitetônico sevilhano, e da estupenda Catedral gótica, uma das mais importantes da Espanha, com sua enorme torre Giralda. Sevilha é a Espanha dos sonhos, mas também dos prazeres profanos e das festas e do fervor da Feira de Abril e da Semana Santa, as celebrações típicas mais populares e animadas.  E, é claro, das castanholas que você vai morrer de vontade de levar como lembrança. Outro marco é a Torre del Oro, erguida em 1220, à margem do rio Guadalquivir. Tem esse nome por causa dos azulejos dourados.

Curtindo a natureza, aproveite as margens do rio Guadalquivir para caminhar ou andar de bike. É possível, ainda, realizar passeios de barco e, literalmente, esquecer-se da vida.  No roteiro turístico, inclua algumas praças (plazas) famosas e seculares, como a Toros, España e América – todas cercadas de edifícios históricos, museus e monumentos. Esta última, aliás, situa-se no convidativo parque Maria Luisa, o principal de Sevilha, considerado pulmão verde da capital andaluza, próximo ao centro urbano; ele dispõe de variada flora e grande número de alamedas percorridas diariamente por visitantes de todo o mundo e, ainda, a Plaza de España, cuja principal edificação pode ser avistada de longe e é de tirar o fôlego.

A culinária típica andaluza segue a tradição espanhola das tapas, com destaque para as porções de peixes e frutos do mar, ofertados aos montes, em bares e restaurantes. Sua gastronomia local tem forte toque da cultura árabe, povo que habitou a região no passado. Assim, na maioria dos pratos, se usa bastante o azeite de oliva. Cultivados no interior e na serra, os pratos de caça, como javali, coelho e perdiz, também são encontrados na cidade. Dos rebanhos suínos deriva o presunto cru (jamón), que é bastante apreciado por lá e vai de recheio em muitos bacadillos (sanduíches). E a cozinha árabe – olha aí ela de novo – amplia sua presença nos doces à base de amêndoas e mel.

Na programação noturna, vale conferir uma apresentação de flamenco, um dos espetáculos mais turísticos da cidade. O Palácio Andaluz é um grande teatro com espaço para jantar, enquanto se aprecia a dança típica. A Casa de La Memoria é mais um palco famoso, com shows diários de grupos variados. Quem assiste aos dançarinos de flamenco, pela primeira vez, se empolga fácil com o ritmo das castanholas.

Conhecer Sevilha é um sonho… Recomendo a todos!

 

 

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias