Hoje: Sevilla

Leitura obrigatória

Nesta semana, quem nos conta sobre a bela Sevilla é a socorrense Letícia Faria, que fez intercâmbio acadêmico de Arquitetura e Urbanismo, de setembro de 2013 a março de 2014, na Universidad de Sevilla.

Conte, Letícia!

Sevilla está localizada ao sul da Espanha e é a capital da região autônoma de Andaluzia. À primeira vista, pode parecer apenas mais uma cidade com monumentos históricos, no entanto, muito além de história, Sevilla exala cultura e qualidade de vida.

A cidade possui uma forte influência árabe em sua arquitetura: o centro histórico, por exemplo, possui ruas estreitas e tortuosas, onde é comum se perder e se deparar com uma nova praça ou igreja. A catedral da cidade, conhecida por sua torre do campanário chamada La Giralda, é originalmente uma mesquita árabe, que só após a invasão e domínio dos cristãos, passou a ser uma igreja católica. O maior exemplo dessa influência é, sem dúvida, o Real Alcázar, um palácio dos antigos governantes árabes que, atualmente, é aberto à visitação do público. Tal influência não é restrita a arquitetura, ela também se expande pelas ruas: Sevilla é coberta por laranjeiras e, na época da florada, a cidade exala o aroma dos naranjos. No entanto, as laranjas são azedas e são conhecidas como naranjas sevillanas.

É na região de Andaluzia que estão os estereótipos espanhóis exportados para o mundo: o Flamenco, as castanholas e as touradas. Sevilla possui uma das mais tradicionais Plaza de Toros da Espanha, onde, apesar de não ser apoiado pela maioria dos espanhóis, ocorrem anualmente campeonatos com os mais famosos toureiros do mundo. A dança flamenca é apresentada todos os dias, em diversas casas de espetáculos da cidade. Os locais mais típicos, os frequentados pelos sevilhanos, não cobram a entrada e, como cortesia, o freguês consome uma tapa y una cervecita – uma porção e cerveja.

Sevilla também é uma cidade extremamente religiosa, e é comum a prática de procissões para os mais diversos santos do calendário. Na semana santa – época em que a cidade mais recebe turista – as 57 confrarias da cidade preparam-se e enfeitam os andores de Cristo e da Virgem, para desfilarem pela cidade. Hoje em dia, as procissões das distintas confrarias têm lugar nos oito dias que decorrem entre o Domingo de Ramos e o de Páscoa, e são realizados com trajes característicos: os nazarenos usam capuz, máscara e, por vezes, uma capa com as cores de sua confraria.

Além de tudo isso, a cidade está à beira do rio Guadalquivir, e possui um projeto urbano às margens, onde é possível utilizar e fazer do rio um elemento presente no dia a dia. Às margens do rio, é possível realizar diferentes programas: caminhar, fazer piqueniques, praticar esportes, ou simplesmente permanecer. Próximo ao rio está a praça mais famosa da cidade, Plaza de España, onde alguns arriscam dizer ser o local mais bonito da Europa. Muitas cenas de filmes são gravadas ali.

Sevilla é uma cidade muito limpa, bem servida por um transporte público de qualidade (ônibus, trem, bonde e bicicletas públicas), e possui um clima relativamente quente, se comparado ao restante do país. Os sevilhanos, no geral, são pessoas simpáticas e agitadas – é comum encontrar pessoas das mais variadas idades, caminhando pelas ruas até altas horas da noite.

A cidade que já é linda, fica ainda mais espetacular com os tons dourados que ganha no fim da tarde. Sevilla, com certeza, merece ser visitada.

Artigo anteriorAdote essa ideia!
Próximo artigoEdição de 25/04/2014
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias