Hospital Geriatrico é notícia, novamente

Leitura obrigatória

Depois de alguns anos, notícia sobre a construção do Hospital Geriátrico volta a ser dada em O Município, na edição nº 2.796, de 25 de agosto de 1979, como cópia de nota publicada na Folha de São Paulo.

 Hospital Geriátrico

A convite do sr. Superintendente do AMSPF, Cel. Francisco de Assis Freitas, visitaram em sua companhia, no dia 6 de agosto pp. a cidade de Socorro, o sr. Milton Arantes Dix, diretor social da AFPESP e os drs. Oswaldo Sobral e Oscar Bellini, do Hospital do Servidor Publico, a fim de inspecionarem a localização do terreno doado pela Prefeitura local para a construção de um Hospital Geriátrico, subordinado pelo IAM PE. Os visitantes foram recepcionados pelo sr. Prefeito e Vereadores do município.

(Da “Folha de São Paulo”, de 15-08-79)

 O mesmo assunto é noticiado na edição nº 2800 de 22 de setembro de 1979, juntamente com outras duas “pedras” no caminho dos administradores.

 Socorro espera receber o seu hospital

Artigo nosso publicado pela “Folha de São Paulo”, como seu correspondente em Socorro:

“Há 6 anos a Prefeitura de Socorro doou uma área de 10 alqueires ao governo para que este construísse um hospital geriátrico. Os estudos foram realizados e a obra projetada. Até hoje a cidade espera pela construção do hospital dos velhinhos, destinado especialmente aos funcionários publicos aposentados.

Recentemente, porém, médicos e diretores do Hospital do Servidor Publico estiveram em Socorro e, representando o órgão, examinaram o local doado pela Prefeitura. Espera-se que agora, passados seis anos, a obra venha a concretizar-se.

 BALNEARIO

O caso do Balneario assemelha-se ao do hospital geriátrico, embora tenha sido construído. Acontece que, apesar de ter sido inaugurado oficialmente em agosto do ano passado, com toda a solenidade, o balneario nunca funcionou.

Junto às fontes da Pompeia, a 5 minutos da cidade e que lhe conferiram o titulo de estancia hidromineral, transferido posteriormente para o de turístico, a obra da Fumest não chegou a receber o mobiliario necessário e nem mesmo seus funcionários foram designados.

Permanece por mais de um ano, portanto, o predio concluído e sem nenhuma de suas atividades tenha começado.

 PUBLICIDADE

Os órgãos municipais de Socorro, incluindo a Prefeitura e Camara dos Vereadores, destacam-se das demais cidades pelo silencio, com o município. Assim, nenhum balanço é publicado, não se conhecem nem mesmo o orçamento municipal, a situação financeira e os projetos do Executivo e Legislativo.

A população permanece alheia a todos os aspectos que lhe interessam. O Serviço Autonomo de Agua e Esgoto (SAAE) segue a mesma linha do silencio.

O resultado são os comentários até prejudiciais que decorrem da situação desconhecida, baseados constantemente em hipóteses e conjecturas.”

 

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias