“Meu objetivo é despertar a necessidade e a importância da amamentação, estreitando, assim, a sintonia entre mãe e bebê”, afirma Andressa  

Leitura obrigatória

DSC_284g5 Amamentar está longe de ser fácil, e muitas mulheres passam por dificuldades no processo de amamentação – principalmente no início. As primeiras duas semanas após o parto são o principal período de aprendizado da amamentação, tanto para a mamãe quanto para o bebê. A amamentação, ao contrário do que muitas pessoas pensam, deixou de ser instintiva há muito tempo, e passou a ser uma técnica e, como toda técnica, deve ser aprendida, ou seja, a dupla mãe/bebê está se conhecendo e aprendendo a amamentar e a mamar. “Nunca tinha me atentado a esta questão, até começar a atender crianças que apresentavam algum tipo de alteração de crescimento facial e problemas respiratórios, por falta de amamentação, o que prejudica a qualidade de vida dessas crianças”, conta a odontopediatra Andressa Bortolasso.

Ela lembra que muitas mães alegavam que passaram dificuldades para amamentar, tanto em razão da falta de leite ou até mesmo porque a própria criança não “pegava o peito”. “Diante destes relatos, decidi me aprofundar no assunto, busquei cursos fora do ramo da odontologia e me especializei como educadora perinatal, que auxilia a mãe durante a gestação, na hora do parto e no pós-parto. Desenvolvi um curso para gestante, no qual fui facilitadora, por 15 anos, além de ajudar as novas mamães, prestando consultoria em amamentação domiciliar. Com este trabalho, consegui perceber que muitas mães não amamentam porque não querem, e vão até o seu limite – como a cena em que me deparei, de uma mãe ter seu seio sangrando – para poder alimentar seus filhos. E, muitas dessas mulheres não têm em quem se apoiar, ou pelo contrário, recebem tantos palpites, tantas informações diferentes, que acabam se perdendo”, lembra a odontopediatra.

Somente com a chegada do seu primeiro filho, Andressa sentiu na pele que a teoria acaba sendo bem diferente, na prática. “Mais do que uma técnica, comecei a perceber que é preciso ter uma estrutura e, mais que isso, uma sintonia! Então, estava aí a minha resposta! Quando eu fazia as visitas domiciliares eu deparava com mães nervosas, desequilibradas emocionalmente, desesperadas, querendo que alguém desse a elas uma solução. Mas, eu descobri que a solução está aqui, dentro de nós! Nós sabemos as respostas, desde que conectadas com a maternidade. Descobri que intuição de mãe existe! Basta sabermos como acessar este estado”, relata Andressa. “Então, fui anotando tudo o que eu fazia para conseguir essa sintonia. E, depois de muito trabalho, estudos e pesquisas, transformei minha experiência em um método que ajudou centenas e centenas de mães a integrar-se perfeitamente com seus bebês! Vi muitas transformações acontecendo, e resolvi propagar essa mensagem, montando um curso de integração entre mamãe e bebê, para aplicar a técnica”.

Foi neste momento que surgiu o projeto Sintonia de Mãe que, a princípio, se tratava de um curso presencial. Porém, Andressa sentiu que a mensagem passada nesse programa precisava ser propagada e passou a criar conteúdos para a internet. Criou um site, um canal no Youtube e uma página no Facebook, com conteúdos online que são, em sua maioria, gratuitos e, para quem quiser se aprofundar mais, pode adquirir o Programa Avançado, que é pago. “Além disso, faço o acompanhamento, durante a gravidez, para que a mulher, ao dar a luz, tenha todas as ferramentas necessárias para colocar em prática. Meu objetivo é despertar a necessidade e a importância da amamentação, estreitando, assim, a sintonia entre mãe e bebê”.

Quem quiser conhecer mais sobre o projeto, pode acessar o site www.sintoniademae.com.br, a página do Facebook: Sintonia de Mãe, bem como o canal no Youtube.

ANDRESSA - site XX

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias