O Paço Municipal foi inaugurado com festa de gala, em 1936

Leitura obrigatória

Na edição nº 3.982, de 31 de outubro de 1997, O Município publica um artigo assinado por Geralda Dias de Oliveira e Celestino de Pompéia Calafiori, sobre o Paço Municipal que, naquele mesmo dia, completava 61 anos, contando um pouco de sua estória.

Hoje, 20 anos depois, transcrevemos esse artigo, no qual também é colocado o convite para a inauguração, com o programa em que consta: 5 horas – Alvorada; 9 horas – Missa e Bênção do prédio; 15 horas – Sessão inaugural com a presença de autoridades; 21 horas – Baile no salão nobre do Paço Municipal, a rigor.

Atualmente, aos 81 anos, o Palácio das Águias, como é também conhecido, abriga a Biblioteca Municipal Profª Esther de Camargo Toledo Teixeira e é palco de diversos eventos culturais.

Paço Municipal completa hoje 61 anos

Precisamente hoje, dia 31 de outubro, o Paço Municipal completa 61 anos de idade.

Foi desde a sua inauguração e é até agora o centro das decisões políticas da cidade.

Além da Prefeitura Municipal, abrigou até a bem pouco tempo, a sede do Poder Legislativo, suntuosa, num enorme Salão Nobre, com mesa em formato de U, em madeira de lei e respectivas cadeiras estofadas, com destaque para a mesa da presidência em plano superior, servida por três poltronas com espaldar alto, móveis altamente luxuosos que os poucos governos que possuem similares os guardam avaramente, como relíquias preciosas.

Dispunha de acomodação para o público como ele merece e recebeu completa decoração interior, com mobiliário e cortinas do melhor padrão. Foi salão de festas da cidade e local de bailes memoráveis. Foi palco de posse de inúmeros Prefeitos e de Câmaras Municipais, abrigando a todos com comodidade e conforto.

Foi local de convenções políticas e até velório de personalidades ilustres. Ali funcionaram sessões eleitorais, o Posto de Fiscalização e a Coletoria Estadual, além das repartições municipais. Abrigou galeria de fotos de Prefeitos e Presidentes de Câmaras, numa homenagem àqueles que contribuíram para o progresso de Socorro.

Mesmo com o passar dos anos, nenhum prédio público da cidade suplanta a beleza de suas linhas arquitetônicas arrojadas para a época, observadas nas quatro faces indistintamente. Foi admirado e fotografado pela legião de técnicos que por dever de ofício o visitaram ao longo de sua vida.

– Que pena que o forro do salão de festas, a pintura artística que lhe revestia as paredes, feita por técnico altamente qualificado, as divisórias do saguão também em madeira de lei, a porta majestosa da frente, os belíssimos portões de ferro fundido que cercavam a praça onde ele se situa então circundada por belíssimas balaustradas, já não existem mais. Porém resistem heroicamente as belíssimas portas internas, a escada de acesso ao patamar superior, uma verdadeira obra de arte, e o próprio piso, tudo em madeira de lei, imaculados, uma amostra dos primeiros dias do prédio, até hoje admirado.

Hoje, internamente, o prédio é outro. Externamente, porém, deixe entrever a opulência dos seus primeiros tempos com suas águias em posição de alerta, seus florões, seu estilo.

Para encerrar, e para conhecimento das novas gerações, detalhes do convite pessoal e intransferível feito para sua inauguração, subscrito pelo Presidente da Câmara, Cap. Joaquim de Souza Pinto, e pelo Prefeito Vicente Lomônico, a quem a cidade deve essa relíquia, e que ocupou a chefia do Executivo por quatro períodos distintos.

O convite que estampamos abaixo, possivelmente o único exemplar existente, endereçado ao saudoso Nicolau Cómito, especialmente convidado, foi nos cedido pelo Diretor da Sociedade Italiana, Alberto Niero.

Geralda Dias de Oliveira

Celestino de P. Calafiori

 

Artigo anterior
Próximo artigo
- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias