Ong São Lázaro alerta para o crescente número de animais abandonados  

Leitura obrigatória

Desde novembro de 2014, o Canil Municipal de Socorro vem sendo novamente administrado pelos voluntários da Ong São Lázaro. De lá para cá, muitas ações valorosas foram implantadas, das quais salientamos o trabalho belíssimo realizado por crianças da escola Trenzinho Viverde, sob a coordenação de Cláudia Avezani, mãe de dois alunos participantes, e da prô Viviane Candotta, grande incentivadora de seus alunos. Essas crianças têm ido toda quinta-feira à tarde, com o objetivo de passear, dar atenção, carinho, enquanto os voluntários da ONG preparam uma ração especial, com patezinho. Por este motivo, estamos sempre solicitando a doação de latinhas ou sachês, pois a espera por esse dia é grande, por lá. Também o grupo Pais tem participado e feito regularmente plantões no canil, aos domingos, com o objetivo de trazer mais pessoas para conhecerem o local e também adotarem os cãezinhos. Ainda quanto aos colaboradores, não podemos deixar de citar a grande ajuda da Fátima Yamada Guttman, que conseguiu com seus amigos, a doação completa de todas as doses de V8 necessárias, nos tirando dos ombros um peso enorme, uma vez que não aplicar anualmente essa vacina, acarreta um risco muito grande de doenças infectocontagiosas, com destaque para a mais frequente, a cinomose.

Ocorre que o número de abandonos, em Socorro, tem crescido assustadoramente! Para algumas pessoas “pouco informadas”, o canil é o local para onde todos os cães sem dono devem ser mandados… Assim, como um saco sem fundo! Para quem conhece a causa, não é assim tão fácil. Em primeiro lugar, por mais que façamos, o canil não passa de um presídio para inocentes. Nunca foi e nunca será um local bom para se viver, como alguns pensam. Para cada entrada no canil, é necessários vacinar, vermifugar e, algumas vezes, outros procedimentos/medicamentos. Isso tem um “CUSTO”. O canil quase sempre opera “lotado”, pois o número de adoções em relação ao número de solicitações de entrada é sempre desfavorável. Assim, não há como fazer milagre… Precisamos que haja uma adoção, para que abra uma nova vaga. A solução passa pela conscientização, castração, posse responsável. Não se pode pretender que uma ONG sem fins lucrativos, composta por voluntários, seja responsável por toda uma situação que é responsabilidade de cada cidadão, passando pelo poder público. Também a inexistência de leis que regulamentem a criação de animais é um fator de aumento de problemas na nossa cidade. É preciso que se entenda que, quando as pessoas criam animais para terem fins lucrativos, isso precisa ter regras, como qualquer outra “atividade comercial”, Vale também lembrar que, para cada animal comprado, outro deixa de ser adotado.

Este relato tem como objetivo esclarecer alguns pontos que sempre são questionados, normalmente, por pessoas que não estão próximas o suficiente para entenderem os problemas que existem por trás dessa árdua tarefa, que é a de tornar “menos ruim” a vida dos cães sem família.

Convidamos todos que queiram ajudar, da forma como puderem, que entrem em contato conosco, pela página do facebook Ong São Lázaro.

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias