Roma – Basílicas e Catacumba

Leitura obrigatória

Roma é a capital da Itália. Conhecida internacionalmente como A Cidade Eterna pela sua história milenar, Roma espalha-se pelas margens do rio Tibre. No interior da cidade encontra-se a Cidade do Vaticano (governada pela Santa Sé), sede da Igreja Católica Apostólica Romana e residência do papa, que também é bispo de Roma. Conserva muitas ruínas e monumentos na parte antiga da cidade, especialmente da época do Império Romano, e do Renascimento, o movimento cultural que nasceu na Itália. No decurso da sua História de mais de dois mil anos, Roma acumulou inúmeros e notáveis tesouros de arte e um património arqueológico sem igual no resto do mundo.

O grupo de catequistas de Socorro lá esteve, numa viagem de turismo religioso. É claro que visitaram inúmeros locais turísticos, como o Panteão, Coliseu, passaram por incontáveis palácios, monumentos, templos, praças, mas conforme nos conta Amari Ramos Busato, o foco principal foram as quatro basílicas e uma das catacumbas que existem no subsolo da cidade.

Fale, Mari!

A nossa viagem à Itália foi toda emocionante, alegre, e um dos passeios que muito me impressionou foi a visita às catacumbas de Roma.

Primeiro quero dizer o que Catacumba significa cidade sem vida. O solo da poderosa Capital do Império Romano esconde um verdadeiro labirinto de passagens secretas e câmaras ocultas. Trata-se dos antigos cemitérios subterrâneos, usados durante algum tempo pelas comunidades cristãs e hebréias, na Antiga Roma. As catacumbas foram somente um lugar de sepultura, mas os cristãos também chegaram a usá-las para celebrar ritos fúnebres e culto aos defuntos. Durante as perseguições aos cristãos, serviram também como centro de peregrinação. Por isso, hoje em dia, diz-se que quem visita as catacumbas ganha indulgências.

Fora das muralhas da antiga Roma, na zona da Via Appia, desenvolveu-se uma cidade subterrânea, subdividida em dezenas de quilômetros de galerias. Surgiram algumas lendas eruditas sobre a utilização das catacumbas, como refúgios para os primeiros cristãos perseguidos. Porém, hoje, sabemos que isto era impossível, pois as catacumbas encontravam-se em estado de iniciação dos túmulos. Com o aumento da população de Roma, era maior a necessidade de encontrar espaços para as sepulturas. A criação de grandes mansões e grandes terras cultivadas, as tombas (túmulos) foram sendo afastadas da cidade.

Nos arredores de Roma temos as catacumbas dos santos Marcelino e Pedro, São Lourenço, São Calisto, São Sebastião e Domitilla. Tivemos a oportunidade de conhecer a Domitilla, uma das maiores de Roma, na via Ardreatina. Flavia Domitilla possuía, em Roma, grandes propriedades de terra; era sobrinha do Imperador Domiciano que, no ano 95 d.C., condenou seu marido à morte. Os únicos mártires ali enterrados foram Nereo e Aquileo. No percurso da catacumba encontramos, de início, a grande basílica subterrânea, construída pelo papa Damaso, com a intenção de honrar os dois mártires.

Quem viaja a Roma deve conhecer, também, um pouco sobre as quatro basílicas mais importantes de  toda  a  Itália.  Todas  as     pessoas que visitam o país deveriam conhecer as 4 basílicas, que são muito belas e importantes.

Basílica de São Pedro

As igrejas de peregrinação foram uma idéia que surgiu no século XIII.  Predizia-se, no Ano Santo de 1300 que, quem visitasse a Basílica de São Pedro, teria seus pecados absolvidos. Hoje em dia, muitos católicos costumam visitar a Basílica, mas muitos nem sabem as indulgências que recebem.

A Basílica de São Pedro tem capacidade para 60 mil pessoas e nela pode-se observar várias obras de arte, como a Pietá de Michelangelo e o Baldaquino (sob ele está o túmulo de São Pedro).

Basílica de São Paulo Fora dos Muros – Esta basílica fica mais distante de Roma e é onde está enterrado os restos mortais de São Paulo. É a segunda maior basílica de Roma e sua construção se iniciou no século IV. Em 1823, sofreu um grande incêndio e boa parte das obras de arte foram destruídas. A Igreja é muito bonita e simples.

Basílica de São João de Latrão

Esta basílica é considerada uma das mais importantes do mundo.  Mãe e cabeça de todas as Igrejas de Roma e do Mundo. Ela recebe esse título por ser a Catedral de Roma e como o bispo de Roma é o próprio papa, esta igreja fica duplamente importante. Dentre suas principais relíquias está a Escada Santa, escada essa que estava na entrada da sala de Pôncio Pilatos, e um obelisco egípcio do século XV a.C.

Basílica de Santa Maria Maior

Esta basílica foi construída entre os anos de 432 e 440 e foi a última basílica a ser considerada Maior; construída originalmente em estilo romano, sofreu várias modificações até chegar ao romano, como se vê até hoje. Sua torre tem 75 metros de altura e, em 1980, foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade, pela Unesco.

Eu adorei visitá-las!

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias