Socorro adota ações preventivas nas escolas após ameaças e boatos

0
765

Os recentes ataques a uma escola na capital e a uma creche em Blumenau foram o estopim do medo, que tem tirado o sono de pais, alunos, professores e dirigentes de ensino, por todo Brasil.

Seguiu-se uma onda de ameaças e boatos, disseminados pelas redes sociais. Receosos, alguns pais e responsáveis já decidiram não mandar os filhos à escola.

Pela segunda vez nesta semana, a Prefeitura de Socorro reuniu-se com as forças de segurança – Polícia Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal – para tranquilizar a comunidade escolar. Socorro conta hoje com 28 unidades municipais, além das escolas estaduais e particulares.

Em entrevista a redação do jornal, o prefeito Ricardo Lopes disse que soluções imediatas estão sendo tomadas em todas as escolas, como instalação do botão de pânico nas unidades municipais. Também estão dificultando o acesso de pessoas desconhecidas, deixando os portões fechados e aumentando o efetivo para a segurança, através de horas extras dos guardas municipais.

“Os diretores e coordenadores das escolas passarão por um treinamento, ministrado pelo Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, sobre como atuar em situações suspeitas e de emergências”, disse ele.

Ainda segundo o Chefe do Executivo, embora muitas informações aparentemente sejam falsas, elas não podem ser descartadas. Ele também pediu para que os pais observem qualquer comportamento estranho de seus filhos, olhem as mochilas, “para que possamos o mais rápido possível passar por essa onda repugnante de covardia”, disse.

As escolas particulares também já providenciaram o reforço nos protocolos de segurança. Uma delas já disponibilizou profissionais de segurança, para permanecer no portão de acesso, durante entrada e saída de alunos, além de reforços no monitoramento por câmeras 24h.

Cidades da região também tem adotado medidas preventivas na segurança das escolas. Mais detalhes na edição impressa desta sexta-feira.