Socorro perde os coqueiros centenários do Bairro Barrocão

Leitura obrigatória

Na edição número 3.576, de 15 de julho de 1989, O Município destaca “a morte de um Cartão Postal” de Socorro. De lá para cá, outros cartões postais desapareceram e deixaram saudade. Não podemos permitir que a história se repita indefinitivamente, e percamos os cartões postais que fazem de nossa cidade um lugar aconchegante; precisamos preservar os que ainda restam e povoam nosso imaginário, sejam eles patrimônios naturais, arquitetônicos ou culturais. Como já disse o comunicador jamaicano, Marcus Garvey, “Um povo sem o conhecimento da sua história, origem e cultura é como uma árvore sem raízes”.

A morte de um Cartão Postal

Socorro acaba de perder, por motivo não explicado, boa parte do belo e harmonioso conjunto de coqueiros centenários, no morro do Barrocão que, devido a sua localização, foi admirado e amado por várias gerações.

Tal fato agrediu assim, não só todas estas pessoas, como a nossa grande natureza. Minha intenção, através deste apelo mórbido, é a de apenas alertar a cidade que não se dê mais ao luxo de permitir que desmatamentos discriminados como estes tornem a se repetir, e que a população se conscientize do belíssimo e privilegiado patrimônio natural que pertence a toda cidade, seja cuidado e preservado com todo respeito e carinho que lhe é necessário, para que nossas próximas gerações tenham chance de conhecer e participar desta que é nossa maior riqueza, ou seja, “a natureza” de Socorro.

Guilherme Salles de Campos

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias