Tromba d’água alaga ruas e provoca desmoronamento, em março de 1998

Leitura obrigatória

Na edição nº 4.000, de 6 de março de 1998, O Município informa, novamente, sobre a tromba d’água que alagou diversas ruas e prejudicou muitas famílias.

Na mesma edição, destaca a publicação do Plano Diretor, que dispõe sobre o parcelamento, uso e ocupação do solo em todo território do município de Socorro.

Moradores são prejudicados pela tromba d’água

Na tarde do último dia 27 (sexta-feira), uma tromba d’água caiu sobre a cidade, alagando a maioria das ruas situadas na parte baixa do Jardim Gollo e a Rua Nicolau Corrêa Bueno, esquina com a Rua José Franco Craveiro, onde os moradores tiveram suas casas invadidas pelas águas.

A Rua Nicolau Corrêa Bueno é cortada por um córrego que desce do Jardim Teixeira/Araujo, no qual é depositado todo tipo de entulho e devido às fortes chuvas, a boca de lobo entupiu e o córrego transbordou, causando também desmoronamento de parte do jardim da Igreja São Vicente de Paulo. Para a evasão das águas, foi preciso que alguns moradores da rua derrubassem o muro existente na Vila Vicentina.

Na ocasião, o Prefeito Municipal Wandir de Faria esteve no local, a pedido de moradores, quando de imediato providenciou uma máquina para a limpeza e a retirada dos entulhos ali existentes, e decidiu pela construção de galerias para águas pluviais naquele local e nas ruas José Peretto, Pedro Patrício da Veiga, Otávio Zucato, Andrelino de Souza Pinto, saída para o Bairro das Lavras, Jardim Golo, Felício Muciacito, Barão de Ibitinga e Trevo da Abadia, todas em zonas próximas a córregos e ribeirões, sujeitas a constantes enchentes. Segundo o Prefeito, também será feito o desassoreamento e desobstrução de galerias existentes, córregos e ribeirões, para amenizar o problema existente nas épocas de chuvas.

 

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias