Uma aventura e tanto! Bianca Pereira Paes da Rocha e o marido Claudinei Rocha da Rocha, integrantes do moto clube AMM (Mistério Motociclístico Adventista) de Socorro, acabam de voltar de uma incrível viagem de moto para o Ushuaia.

Ainda no começo de 2023, não imaginavam fazer uma viagem tão longa, mas a oportunidade surgiu a convite de um casal do Espírito Santo, o Misael e a Ivone, que já planejavam o roteiro há três anos. A saída foi no dia 01/03 e a chegada no dia 28/03.
Confira o relato e o passo a passo dessa incrível expedição.

15 cidades em menos de 1 mês
Tivemos dois meses para nos preparar com a compra de algumas coisas que faltavam e para a revisão da moto e no dia 1º de março saímos para a tão maravilhosa expedição. Nos encontramos com o casal de amigos no pedágio de Mogi Mirim e de lá seguimos até Arapongas, onde passamos a noite. No dia seguinte fomos para Foz do Iguaçu, onde fizemos os últimos ajustes e, no dia seguinte, começamos o trajeto.

Chegamos na Argentina dia 03/03 e o nosso primeiro pouso foi em Posadas. Passamos por 15 cidades: Posadas, San José, Santa Rosa, Neuquén, San Martin de Los Andes, Bariloche, Perito Moreno, El Chaltén, El Calafate, Rio Gallegos, Rio Grande, Ushuaia, Comodoro Rivadavia, Puerto Madryn e Galeguaychú.

Por estes lugares passamos por espetaculares paisagens. Pudemos apreciar lindas maravilhas da natureza, de San Martin de Los Andes até Bariloche passamos pela Ruta dos 7 Lagos, onde se tem um cenário de filme, é de encher os olhos as belas e exuberantes obras da natureza, com montanhas e lagos cristalinos, um contraste admirável, mas nem todo o caminho foi assim.

De Perito Moreno até El Chaltén tivemos que passar pelo temido 73 malditos, que é uma estrada de rípio (pedras soltas) é muito perigosa para a condução da moto. No dia em que passamos não estava com ventos fortes e isso ajudou muito, mas quase caímos várias vezes.

Em El Chaltén fizemos um trekking no Fitz Roy, foram 12 horas de caminhada. O Monte Fitz Roy ou Cerro Chaltén é uma montanha localizada na fronteira do Chile com a Argentina na região da Patagônia, no Campo de Gelo Patagônico Sul. Esse foi um dos maiores desafios, mas o esforço vale a pena, a paisagem é linda! Em El Calafate fomos visitar o Glaciar Perito Moreno, mais conhecida geleira aberta à visitação da América do Sul. A principal atração são as gigantescas paredes de gelo que volta e meia despencam propiciando um espetáculo aos visitantes. Para visualizar a geleira há quase 3km de passarelas espalhadas na área em frente ao glaciar, onde inúmeros mirantes oferecem vistas panorâmicas arrebatadoras.

A geleira Perito Moreno é um glaciar da Patagônia Argentina, localizado quase na divisa com o Chile, que se estende desde o campo de gelo Patagônico Sul até o braço sul do lago Argentino. As gigantescas paredes de gelo de mais de 5 quilômetros de largura chegam a atingir 60 metros de altura no ponto mais alto. O glaciar é considerado uma das reservas de água doce mais importantes do mundo. Para chegar até o destino final o Ushuaia, atravessamos o Estreito de Magalhães por uma balsa no território chileno. Dia 16 de março chegamos no Ushuaia, ficamos 4 dias e fizemos o passeio de Navegação pelo Canal de Beagle. O canal banha a cidade, faz divisa entre o Chile e a Argentina e ainda promove o encontro entre os oceanos Pacífico e Atlântico. A paisagem é sempre linda!

A excursão clássica com cerca de seis horas de duração, mostra aos visitantes a Ilha dos Lobos Marinhos, a Ilha dos Pássaros e o Farol Les Eclaireus, comumente chamado Farol do Fim do Mundo e chega na pinguinera. Não há desembarque em nenhum desses locais, as embarcações apenas ficam paradas por alguns minutos próximo ao ponto de interesse. A embarcação é muito confortável, tem cafeteria, e a paisagem é deslumbrante! Apesar de fazer frio do lado de fora do catamarã, é inevitável ir ao exterior para registros fotográficos! Fomos também conhecer Ruta 3 que começa em Buenos Aires, corta toda a Argentina, cruzando a Patagônia e chegando ao Ushuaia.

Com 3079 km, ela apresenta diversas versões de si mesma, seja em asfalto novinho, remendado, retas intermináveis, curvas fechadas e, por fim, rípio, mais para lama que pedra… mas, ainda assim rípio.

Este fim acontece na Bahia Lapataia, cerca de uns 25 km do centro de Ushuaia, dentro do Parque Nacional. Lá existe uma placa famosa que todo motociclista que chegar ao Ushuaia tem por obrigação (com a Ruta 3), ir até lá fazer uma foto.

Foram experiências maravilhosas, a culinária também nos proporcionou apreciar qualidade e diferenças de nosso país com a Argentina.

Na volta para casa tivemos um problema com o pneu da moto, que teve de ser trocado em Puerto Madryn, pois ele já estava chegando no arame. Nós havíamos trocado aqui em Socorro antes da viagem, mas o pneu novo não aguentou a viajem inteira. Procurar um pneu para Versys 650 não foi fácil, mas com a ajuda de moradores conseguimos um que não era dos melhores, mas que serviria para voltar.

Chegamos ao Brasil dia 26 de março, domingo, no horário do almoço e logo fomos procurar um restaurante para comer arroz e feijão, que não tem na Argentina e sentimos muita falta! No dia 27, para fecharmos com chave de ouro, aproveitamos para conhecer as Cataras do Iguaçu. No dia 28 de manhã viemos direto para Socorro onde chegamos 21h30 em nossa casa. No total foram 12.800km.

Participe! Conheceu algum lugar bacana? Compartilhe conosco sua viagem: WhatsApp redação: (19) 99699-9452.