Depois da cura, as sequelas. O Covid-19 pode deixar marcas permanentes conforme a gravidade e dentre elas estão as doenças renais. Segundo dados da SBN – Sociedade Brasileira de Nefrologia mais de 140 mil pacientes fazem diálise no Brasil, um número crescente devido às enfermidades pós-Covid. Convidamos a nefrologista Gloria Maria Furtado dos Reis para esclarecer sobre o assunto. Acompanhe a entrevista, abaixo:
Dra. Gloria é formada em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro CRM-SP 103.867, fez residência médica e pós-graduação em Nefrologia – Registro de Qualificação de Especialidade número 41.695.

O que a Covid-19 causa nos rins em pacientes graves?
Pessoas que tiveram este diagnóstico precisam ser avaliados pelo médico nefrologista, para verificar como ficou a função dos seus rins. A infecção pelo vírus da Covid, em maior ou menor grau de sintomas, é acompanhada por acometimento temporário ou às vezes definitivo dos rins. O vírus ataca diretamente o parênquima de ambos os rins, podendo evoluir com lesão renal aguda ou crônica em vários graus de comprometimento.
Dados de literatura mostram que 1/3 dos pacientes com quadro de Covid crítico ou grave, desenvolvem lesão renal aguda durante a hospitalização e a maioria necessita de tratamento de hemodiálise temporária, podendo evoluir para doença renal crônica nos casos mais severos. Pacientes que ficaram internados e apresentaram quadro de insuficiência respiratória, devem obrigatoriamente ser acompanhados pelo médico nefrologista.
Entre os fatores de risco destacamos: sexo masculino, portadores de diabetes e hipertensão arterial, obesidade, doença cardiovascular, histórico de doença renal prévia.

Quando procurar atendimento com um nefrologista?
A Sociedade Brasileira de Nefrologia, assim como a Sociedade Internacional, recomenda que pessoas acima de 40 anos façam anualmente uma consulta com médico nefrologista, para dosagem de creatinina no sangue, exame de urina e medição da pressão arterial.
O nefrologista trata doenças que não necessariamente são patologias renais como diabetes e pressão alta, mas que podem causar perda da função renal, além de ser aconselhável o acompanhamento com maior frequência em pessoas com histórico familiar de doenças renais, pedra nos rins, nefrite ou infecção na infância, pois o risco de desenvolver a doença renal é maior.

Quais as atribuições desse especialista?
Nefrologia é a especialidade médica dedicada ao diagnóstico e tratamento clínico das doenças dos rins e sistema urinário. O tempo de formação é de dez anos, sendo seis de graduação, dois de residência em clínica médica seguidos de mais dois em residência em Nefrologia.
Entre as diversas atividades do médico nefrologista, pode-se destacar a prevenção de doenças renais, o diagnóstico e tratamento da Hipertensão Arterial, Infecções urinárias, Nefrites, Litíase renal (pedra nos rins), doenças renais císticas, doença renal crônica, Lesão Renal Aguda. O médico nefrologista indica e acompanha o tratamento de hemodiálise, diálise peritoneal e o transplante renal.

Quando iniciou os atendimentos em Socorro?
Acompanho pacientes de Socorro há vinte anos no meu consultório de Bragança Paulista. Sempre observei que a maioria dos meus clientes são pessoas idosas, muitas vezes com dificuldade de locomoção e que precisam de acompanhantes. A solicitação dos meus clientes é bem antiga, como também é a minha intenção de atender em Socorro. A amizade com o Dr. Alan Thayme tornou possível a concretização do meu desejo e dos meus clientes e amigos de longa data. Tudo tem sua hora e o momento certo chegou agora.

Serviço – Atendimento em Socorro na Interclínicas II – Rua José Peretto, 231 – Telefone: (19) 99955-4400.