Toni Recruta – O 1º. Brasileiro a participar da Red Bull X-Alps 2021 – A maior prova de aventura e resistência do Mundo

Leitura obrigatória

Antonio Augusto Filho, conhecido como “Recruta, 38 anos, formado em turismo, policial militar há 17 anos, piloto de parapente desde 2008 e frequentador da rampa de voo Livre do Pico da Cascavel em Socorro” será o Brasileiro que vai participar do Red Bull X-Alps 2021, a prova de Hike and Fly mais difícil do mundo em termos de resistência e aventura.

Os competidores habitualmente atravessam aproximadamente 1.100km desde Salzburg na Áustria até Mônaco, cruzando os Alpes por diversas vezes, mas com a restrição só se locomover caminhando ou voando com um parapente. Numa entrevista exclusiva a Manoel Grill, integrante da Radio & Sport Consuting com sede na Suíça, a socorrense Giceli Guimarães Fleming teve oportunidade de ser a interprete da entrevista e traz para o jornal “O Município” os detalhes da preparação para essa aventura esportiva e as expectativas da participação de Toni Recruta nessa prova sonhada por muitos atletas.

Qual é e seu histórico de performance no voo livre?
Eu sou piloto de parapente desde 2008, mas em 2012 passei a me dedicar mais ao esporte adotando a rampa do Pico da Cascavel em Socorro e me dedicando aos voos de Cross Country (voo de distância). Eu chegava a fazer 20 voos por mês e assim pude manter uma boa frequência de voos. Nos anos seguintes eu tive uma significativa evolução, e consegui fazer triângulos de 100km e voos de Cross de até 190km, o que significa “boas marcas” para região Sudeste. Comecei então a participar de campeonatos locais e também Campeonatos Brasileiros, na categoria esporte e serial. Em 2019, fiquei em 10º lugar no Campeonato Brasileiro em Governador Valadares e depois disso, voando num dos locais mais importantes em termos de performance, em Quixadá no Nordeste Brasileiro, eu atingi meu recorde de 405km num único voo.

O que essa prova representa para você?
Esta prova representa a realização de um sonho desafiador. Desde criança eu sonhava em voar. Sempre gostei de esportes de aventura. Quando descobri o RedBull X-Alps alguma coisa me atraiu e vi que era possível juntar minhas paixões em uma única competição. Passei a acompanhar as edições e a me imaginar participando dessa competição. Gosto de me por a prova e descobrir qual é o meu limite físico e psicológico.

Você sabe quantos países serão representados nesta prova e porque você foi escolhido para participar ?
Serão 33 atletas de 13 países. Nos últimos anos eu consegui alguns resultados muito expressivos nos voos de longas distâncias, inclusive um voo de 405 km de distância que durou mais de 10 horas. Acredito que isso tenha pesado a meu favor.

Quais tem sido suas dificuldades desde que você decidiu se inscrever ?
A maior dificuldade é com relação a parcerias e patrocínios para subsidiar uma competição como esta que exige uma equipe bem estruturada, material de treino, suplementos, equipamentos de alta performance, além de toda a logística exigida para ira até a prova e durante a prova.

Como tem sido sua rotina de treino?
Meus treinos tem sido muito bem preparados pelo meu treinador, mesclando atividades físicas, consistindo em corridas bem definidas e com variação de distância e altimetria. Também tenho praticado muito hike, algumas vezes ando de bicicleta para poder descansar dos impactos da corrida. No momento tenho voado pouco, pois muitas rampas estão fechadas devido à pandemia, mas espero que em breve os voos voltem a minha rotina de treinos.

A rota da corrida, que antes terminava em Mônaco, foi modificada recentemente. Qual o impacto que essa mudança pode trazer?
Essa rota, com certeza, pegou todo mundo de surpresa. A minha equipe está estudando para que possamos ter o melhor aproveitamento possível. Nesse momento ainda não consigo passar algo concreto sobre estratégias, mas acredito que tenha sido muito bom, pois pode ter igualado novamente as chances entre os principais competidores.

Qual é o atributo primordial para participar desta prova? Como ocorre a eliminação dos atletas?
O atributo primordial é ter um preparo físico excelente, pois a competição é muito difícil e exige muito do atleta. A eliminação ocorre a cada 48 horas, quando o último competidor tem que sair. A prova termina 24 horas após o primeiro colocado chegar a meta.

Você acha que tem alguma desvantagem competitiva, considerando que você não estará visitando o local da prova com antecedência? Uma vez que você está no Brasil?
Sem dúvida, seria melhor visitar o local da prova, como os atletas da Europa irão fazer. Pretendemos chegar na Áustria no início do mês de junho para poder conhecer ao menos uma parte até treinar na rota. Com certeza, se tivéssemos mais tempo, seria melhor.

Qual é a sua meta nessa competição?
Uma meta desafiadora é, sem dúvidas, chegar ao ponto final da prova. Uma meta realista é me sentir realizado por poder voar com os pilotos que admiro e acompanho pelas redes sociais. Com certeza uma experiência inusitada, única e singular estando entre eles. Outra certeza é: no que depender de mim, estou firme para participar da competição e darei o “meu melhor”.

Por se tratar de uma competição internacional é necessário apoio financeiro, sua Equipe possui patrocínio?
Sim minha equipe está buscando parcerias, apoio e patrocínio. Inclusive quem quiser colaborar pode fazer uma doação voluntária individual de qualquer valor através do site www.vakinha.com.br. Essa “vakinha” tem a finalidade de arrecadar/complementar o valor necessário para que a primeira equipe brasileira consiga cobrir os custos da competição mundo, o Redbull X-Alps, que acontecerá em junho deste ano, na Europa.
Vale lembrar que pela primeira vez um competidor brasileiro terá a chance de representar o Brasil em uma das competições mais importantes do mundo para o nosso esporte.
Nós iremos disponibilizar a planilha de custos estimados. Cabe lembrar que precisamos converter do Real para o Euro. O valor pretendido na “vakinha” refere-se ao pior cenário possível, ou seja, caso a equipe não consiga nenhuma forma de patrocínio através das empresas. Dessa forma e em retribuição, a equipe se compromete com os colaboradores das seguinte maneira:
As 3 maiores doações acima de 600 reais terão direito a um voo duplo de parapente com o piloto Eduardo Eisenlohr, no Rio de Janeiro, Instagran @Parapente.Rio.
As 3 maiores doações acima de 1000 reais terão direito a um *curso de cross country com o Augusto “Recruta”, lembrando que o curso custa 2 mil reais, Instagram @recruta_augustoni (Curso realizado em São Paulo, na região de Socorro-SP com 1 dia de teoria e 2 dias de voo)
Além disso, a equipe irá estudar outras formas de retribuição aos colaboradores.
Temos o comprometimento de que se por algum motivo a equipe não puder ou não conseguir realizar a viagem para a competição, nós faremos a devolução do dinheiro arrecadado, porém nesse caso não será na totalidade, devido os custos com taxas e demais gastos que a equipe não possui controle. Agradecemos a todos e nos colocamos disposição através dos telefones: Augusto “Recruta” (19) 98100 0037 ou (19) 99658 6552. Eduardo (21) 97948 4743. Empresas que tenham interesse em apoiar esse esporte e ser representadas nessa competição também podem nos contatar por esses telefones.

- Anunciantes -
- Anunciantes -

Últimas notícias